Nova Perspectiva

12 de abril de 2016

O cara certo na hora errada

Eu sei que você também pensa em mim todas as noites antes de dormir, que fica olhando pro teto e ensaiando um montão de desculpas pra se convencer de que isso não tem nada a ver com as borboletas que se mudaram pro seu estômago no dia em que nos conhecemos. É só insônia, você diz enquanto vira de um lado pro outro, mas a gente sabe que não é, mesmo que nenhum de nós ouse dizer isso em voz alta, mesmo que mantenhamos reprimido com toda a nossa força o desejo de gritar pro mundo que tá foda fingir que não importa o quão ilógico isso seja, nós só queríamos poder estar juntos.

Eu sei que você também fica olhando as minhas fotos e imaginando como seria bom estar ali comigo, vendo a vida passar afundado no meu abraço enquanto te faço um cafuné, eu, pelo menos, me pergunto o tempo todo como é que seria estar aí. Como é que seria se a gente resolvesse esquecer, por um minuto que fosse, todas as dificuldades e os problemas? Como seria se deixássemos de lado tudo o que vai contra e pensássemos só nos prós? Será que, então, a gente finalmente não seria alguma coisa? Sei lá, eu só sei que olho pra nossa última conversando me segurando pra não te perguntar como é que estão as coisas do seu lado. Por aqui meu bem, tirando a saudade, tá tudo indo bem.

Eu sei que você também fica tentando entender por que é que a vida faz essas curvas esquisitas bem no meio de um caminho que tinha tudo pra acabar no felizes para sempre. A gente podia ter ficado juntos de verdade, sair de mãos dadas, mandar mensagem de boa noite e fazer ligação no meio do dia só pra ouvir a voz um do outro, mas o destino não colaborou com a nossa história. Quando é que a gente começa a descobrir o sentido disso tudo? Quando é que as peças desse quebra-cabeça começando a se encaixar? Eu sei que você não caiu de paraquedas na minha vida à toa, eu só não entendo o sentido da sua estádia ter sido tão curta se a gente tinha sintonia pra vida inteira.

Eu sei que você também queria tocar aqui em casa um dia desses só pra jogar conversa fora durante uma madrugada inteira, que lembra do meu beijo quando toca em outras bocas e que tem vontade de matar a falta que eu te faço sem se preocupar com as consequências. Eu sei que cê se segura pra não me achar, porque agora seria loucura demais se jogar dentro desse furacão, sei que você fica indagando se esse foi o nosso ponto final ou se teremos um round dois em algum momento de nossas vidas. Quem sabe? Minha única certeza é de que é você, não importa quanto tempo passe e nem quantas voltas o mundo dê, pode ter sido a hora errada, mas você é o cara certo.

*imagem via weheartit

Um comentário:

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." — Antoine de Saint-Exupéry — Cative-me.