Nova Perspectiva

20 de abril de 2016

O amor é cheio das surpresinhas


Cê tá cego, cara? Orgulhoso de toda essa merda que jogou no ventilador? E ainda vem pra cima de mim com esse papo progressista e todo cheio de firulas, achando que um linguajar mais polido vai me fazer tirar a roupa e cair de quatro por ti no chão. Mas fique sabendo que não vou cair por palavras bonitas, porque sei que na atitude você sempre deixa a desejar. Sempre.

Eu até me sentia meio mal pelo rumo que as coisas tomaram, mas com essa distância eu abri os olhos e vi que quem deixava as coisas de lado e ainda me culpava, era você.

Se ache em algum lugar, vá para um retiro espiritual, leia mais, saia de casa, encontre gente bacana, discuta sobre a vida, assista o noticiário... aí você vai ver que as coisas tem um contexto muito maior que qualquer sentimento que vier arrasando o coração. A vida é mais que flertes, sexo e paixonites. Olha o tanto de possibilidade nesse mundo: viagens, amigos, vinho, rolês gastronômicos... tem gente que sente prazer até com coisas mais acessíveis como seriados e filmes (conhecemos gente assim né).
Olha pra fora e vê que o mundo não gira ao nosso redor. Por isso que eu parei de seguir o seu roteiro em que eu sempre estava errada, com falas agressivas demais, viajadas demais para o seu gosto. Acontece que você ficou parado no "moça, não fala desse jeito, tem outras formas de falar" que nem me viu chutando bundas, conquistando o mundo e me descobrindo cada vez mais. Nem eu nem ninguém vai ser uma fórmula exata do que você tem como certo. Cada pessoa tem a sua marca própria e é bem idiota tentar tirar isso dela porque você não acha boa a forma que ela fala, vive, escolhe as coisas. A vida é dos outros. Se você acrescenta, joia. Se ela te acrescenta, ótimo! Se não dá liga, ou conversa e ambos tentam ceder ou pula fora.

Não encare o passado como uma nuvem turva e como uma ingratidão da minha parte não ter aceitado os seus moldes de vida. Mas eles são seus, não meus. Por isso não peço desculpas por ter corrido mais que noivas em fuga, de ter chorado de rir de você mais do que a Paola Bracho ria do Carlos Daniel. Te peço desculpas por não ter sido corajosa o suficiente para te enfrentar e te dizer: "SOU MINHA, SÓ MINHA E NÃO DE QUEM QUISER". Porque é assim que minha banda toca e assim que eu escolhi viver - eu só tinha me esquecido disso quando a gente estava junto.

Fica bem e ria das bobeiras, aprenda com seus erros, viva um dia de cada vez... e quando encontrar alguém legal pelo caminho, pessoa ótima para passar um tempo junto, quem sabe você não se lembra da gente e vê que é muito mais legal ficar com alguém gostando dela e suportando seus defeitos do que tentando fazê-la ser um personagem do seu filme de ficção mental?

Chega de jogos sentimentais, cara. Cê tem tudo pra dar certo, pra ser feliz. Pra fazer alguém feliz. Só tira essa viseira que cansa os outros. Vê que há beleza no diferente, no incerto, no imprevisível. Faça seus diálogos mentais, mas se surpreenda com a beleza do inesperado que sai da outra pessoa. E seja feliz. Porque eu, você, ele, ela, todo mundo merece um sossego e um riso fácil.

*imagem via reprodução

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." — Antoine de Saint-Exupéry — Cative-me.