Nova Perspectiva

31 de março de 2016

Olha ela cara

Por essa você não tava esperando, não é cara? Mas tudo bem, afinal, quem é que poderia prever que aquela menininha tão cega de amor ia acordar e ver o buraco em que estava se enfiando? Quem diria que ela, logo ela que sempre foi tão doida de amores por você, teria coragem de pular fora te deixando pra trás? Dessa vez você é quem foi surpreendido né cara!? Eu sei, e pode ficar tranquilo porque na verdade todo mundo foi um pouco também, quem é que poderia imaginar que uma hora dessas ela cansaria mesmo? Que em algum momento o peso ficaria insuportável ao ponto dela preferir te abandonar? Deve ser difícil pra um cara tão acostumado a ter tudo sob controle perder as rédeas da situação, mas agora já era, sinto muito em ter que te dizer que é tarde demais, não tem nada que você possa fazer, basta olhar pra ela e ver como tá sorrindo com mais facilidade desde que resolver seguir em frente.

Olha ela cara, olha com calma, com cuidado, olha com saudade se dando conta de tudo o que você deixou passar. Olha ela e vê se enxerga tudo o que você perdeu por causa desse seu ego gigante que não te deixava se entregar de verdade, que te impedia de gritar aos quatro ventos o que ela fazia questão de espalhar pro mundo. Ela se jogou em você cara, confiou que não importava o que acontecesse suas mãos estariam lá, mas você foi covarde e fugiu todas as vezes em que tinha de ficar. Cê agiu feito um moleque mimado que não consegue abrir mão dos brinquedos velhos, enquanto ela chegou desapegada, livre pra ser sua. “Que fique com elas” ela te disse antes de partir, mas você não botou muita fé, afinal, quantas outras vezes ela já não tinha dito que seria a última vez? Só que dessa vez era verdade. Dessa vez ela pegou todas as coisas, colocou no porta-malas e deu partida no carro sem sequer olhar pra trás.

Ela foi embora e te deixou aqui com essa cara de besta como se você não soubesse o que tá acontecendo, mas você sabe sim! Você sabe que ela ficou de saco cheio das suas desculpinhas e desse seu papo mole de quem só quer um tempo pra se resolver, ela até que esperou bastante, mas parece que cê demorou demais e ela se viu obrigada a resolver sozinha e decidiu que já não dava mais pra sustentar sozinha essa história. A culpa foi sua cara, foi você quem não soube abraçar a oportunidade que tava tendo, foi você que a afastou de todas as formas possíveis com esse seu jeito prepotente e fez com que ela se desse conta de que cê não valia tão a pena assim. Ela, finalmente, caiu em si e conseguiu perceber o tanto de areia que era pro seu caminhãozinho, e você ficou sobrando, mergulhado nos fantasmas de tudo o que vocês podiam ter virado se cê não tivesse estragado tudo.

Olha ela em cima daquele salto agulha desfilando com outros caras bem na sua frente, mas não se ilude que não é pra te provocar, ela só está aproveitando o tempo que perdeu ao seu lado. Olha ela com aquele riso frouxo que derrete qualquer coração e se pergunte como é que cê não tinha percebido quem tinha ao seu lado? Olha ela, olha com a ternura que te faltou olhar todas as vezes em que ela pediu um pouco da sua atenção, mas você não deu, parece que o jogo virou e agora todos os holofotes estão voltados pra ela, inclusive os seus, pena que já não faz mais diferença. Olha ela tão linda e segura de si depois de ter se reconstruído de cada rasteira que você a deu, depois de ter chorado tantas noites e acordado com a cara inchada por sua culpa. Olha ela e pensa em todas as coisas que você podia ter dito pra que ela ficasse, mas não disse, e ela se foi. Quem diria? Até que enfim ela foi atrás da felicidade que você não sou dar, e achou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." — Antoine de Saint-Exupéry — Cative-me.