Nova Perspectiva

7 de março de 2016

Eu troquei a fechadura do meu apartamento

Via reprodução
Encaro a porta com a certeza de que agora você não volta mais. Faz um mês que te espero moreno, trinta e um dias de angústia e ansiedade que atacaram a minha gastrite e me fizeram roer todas as minhas unhas. Eu achei que não era o fim, porque aqui dentro algo me dizia que a gente ainda não tinha vivido tudo, eu queria acreditar que ainda havia muito mais de nós pra descobrirmos juntos, mas eu tava enganada. Cê foi embora e não deixou nem mesmo um bilhete de despedida, saiu de fininho antes que eu voltasse do trabalho e nem se deu ao trabalho de me explicar por que tava indo, precisei descobrir sozinha que eu não era mais o amor da sua vida.

Eu só queria que fosse eu, mas você quis que fosse ela e eu não estava conseguindo lidar muito bem com aquilo, como é que cê pode fazer uma coisa dessas comigo moreno? Hein? Como que cê pode me prometer o mundo e desabar com o nosso castelo porque, de repente, outra pessoa parecia mais interessante que eu? Te mandei mensagens alcoolizada durante algumas madrugadas até que você bloqueou meu número sem sequer me responder, eu só queria entender o que tinha acontecido com a gente. Só queria que você me explicasse em que esquina cê tinha me deixado pra trás porque eu não tava sabendo voltar pra casa, mas você preferiu fingir que eu não existia.

Não sei o que doía mais, te ver desfilando com outra pelas ruas que um dia foram nossas ou o seu silêncio que berrava o nada que eu representava na sua vida. E eu tentava de tudo pra te fazer enxergar que aquilo tava errado, mas cê parecia certo demais da sua escolha. No fundo o problema nem foi você ter ficado com ela, mas não ter me dito porquê tava indo embora. Eu me culpei muitas vezes moreno, me culpei porque eu cheguei a acreditar que não era boa o bastante pra você, talvez se eu fosse mais alta, mais baladeira, menos seria. Talvez se eu fosse ela. Eu não conseguia ver que o problema era você. Foi você que destruiu a nossa história e saiu na ponta dos pés pra que eu achasse que o estrago todo tinha sido feito por mim.

Eu deixei de ter raiva de mim, deixei porque eu tinha sido honesta e dado o meu melhor o tempo todo, você que não era grande o bastante pra receber tudo o que eu tinha pra dar. Você que não merecia todo aquele meu esforço. Parei de arrumar desculpas e coloquei a sua culpa em cima de você, o nosso fim era um peso que eu não tinha de carregar. Eu sei que você me apagou de tudo pra poder apagar a sua falha, cê sabe que agiu feito o moleque que eu não queria aceitar que você era e teve vergonha de me encarar nos olhos e assumir que era imaturo demais pra mim, você fugiu de mim, do seu erro e das consequências dele. Mas eu fiquei e te esperei voltar até me dar conta de que cê não vem mais, e é melhor assim. Aqui não tem mais espaço pra você e eu já troquei a fechadura do meu apartamento.

2 comentários:

  1. Foi bem assim que aconteceu, embora os 31 dias serem 2 anos... mas cada detalhe se encaixou em mim... belas palavras, belo texto. Me definiu! Obrigado Gabi! <3

    ResponderExcluir

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." — Antoine de Saint-Exupéry — Cative-me.