Nova Perspectiva

22 de março de 2016

Às vezes eu volto a te amar

Os dias vão passando e a saudade vai diminuindo e eu já não me preocupo mais se você está bem, se tem ouvido nossas músicas ou se sentiu minha falta algum desses dias, a vida precisa continuar, não é o que dizem por aí? E eu tenho deixado a minha vida andar, passo por passo, um pé em frente ao outro, com calma, como toda reabilitação deve ser. To me curando de você, to me curando das marcas que você me deixou e das vezes em que eu achei que nada ia fazer esses machucados melhorarem. To melhorando amor, e to fazendo isso sozinha, to fazendo isso por mim, porque eu sei que não mereço sofrer tanto por alguém.

Então a semana vai seguinte e já é mais um mês que eu não falo de você, o céu vai ficando mais ensolarado, o meu sorriso vai ganhando mais força e dessa vez parece que, finalmente, você vai sair de dentro de mim, é que agora eu entendi que não tem mais nada que nos prenda, porque não fomos feitos um pro outro. Com um pouco de esforço eu apaguei suas fotos do computador, deletei os textos que eu fiquei de te enviar, mas desisti, e que já não servem pra mais nada. Tenho voltado a sair com meus amigos, conheci uma porrada de gente legal, e tenho achado a noite mais divertida, te garanto: é melhor do que ficar chorando pelos cantos.

Tudo vai caminhando bem, como se nada pudesse estragar essa minha fase boa, mas de repente você atualiza a sua foto do perfil e coloca de legenda aquela frase que eu te enviei pra falar de nós dois, então um filme passa em câmera lenta na minha cabeça e eu me lembro de todas as promessas e dos planos e das vezes em que juramos que seríamos pra sempre. Não fomos. Minha armadura começa a cair e o meu coração volta a ficar pequenininho, meio espremido dentro de mim, como se tentasse diminuir pra não sentir nada, mas eu sinto, sinto muito, e queima, arde, fere cada espaço da minha alma.

E eu me dou conta de que as vezes eu me esqueço que ainda te amo. Esqueço porque é o meu jeito de lutar contra o nosso final, de aceitar que não há mais nada a ser feito, pois nós sabemos, no fundo sabemos, que já fracassamos nessa história. Não tem mais nada que possa alterar o rumo do nosso destino. Eu esqueço porque te esquecer é mais fácil que lembrar da saudade que eu sinto, esqueço porque não aguento carregar o peso que nos transformamos, esqueço pra ver se assim a gente se esquece de vez e se deixa pra trás. Esqueço porque te lembrar é não esquecer de tudo o que eu imaginei pra nós, de todos os sonhos e das expectativas que depositei.

Eu esqueço, mesmo que de mentira, mesmo estando na cara que eu não esqueci e ainda espero que você se lembre e volte. Eu esqueço mesmo que eu esteja sempre relembrando da gente quando surge uma nova oportunidade. Eu esqueço mesmo que seja só me iludir, ou pra tentar iludir aos outros, mesmo que seja só pra criar essa história de desapego e de superação que já não desce pra quase ninguém. Eu esqueço e os outros esquecem que eu não to falando a verdade, porque assim parece mais fácil. Eu esqueço, mas não me esqueço. Eu esqueço, mas não te esqueço. Porque as vezes, só as vezes, eu ainda volto a te amar. E te lembro.

*imagem via weheartit

5 comentários:

  1. Que texto! Tudo o que eu to sentido agora.

    ResponderExcluir
  2. Que texto! Tudo o que eu to sentido agora.

    ResponderExcluir
  3. Ah se desse pra enviar pro canalha...

    ResponderExcluir
  4. "E eu me dou conta de que as vezes eu me esqueço que ainda te amo." ai

    ResponderExcluir

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." — Antoine de Saint-Exupéry — Cative-me.