Nova Perspectiva

7 de fevereiro de 2016

Aquele texto que você me pediu, moreno

Via reprodução
Eu acreditei de novo em nós, foi aí que eu errei. Acreditei que dessa vez podia ser, porque a gente já tinha ficado muito tempo longe e crescido tanto que não tinha como mais uma vez dar errado. Mas eu me enganei, você nunca cresceu. Você ainda é o mesmo cara imaturo e egoísta que eu conheci. Ainda é aquele moleque perdido na ilusão de que tem o mundo aos seus pés e que, por isso, tem o direito de brincar com os sentimentos dos outros, direito de entrar e sair da vida alheia como se o estrago que você causa não fosse imenso. Grande engano. O mundo é redondo e gira sem parar, num dia a gente machuca uma pessoa, no outro alguém é quem machuca a gente e você ainda vai se arrepender de ter o ego tão grande e o coração tão pequeno. Mas não sou eu que vou te mostrar que você não é tudo isso, porque durante essa história toda eu cresci e não quero mais desperdiçar minhas chances com quem não vale o meu esforço.

Dessa vez cê não conseguiu, não é moreno? Eu fui mais rápida, mas é o que eu disse: não sou mais a mesma boba que eu era antes. Não sou mais aquela menininha apaixonada que aceitava suas migalhas só pra não ficar sem nada. Eu não quero mais fingir estar feliz ganhando os seus restos, nem tendo de me forçar a achar que não tem nada de mais em querer aquilo que sobra de você depois de uma noitada boa com meia dúzia de amigas. Eu não aceito mais os seus pedaços e nem me basto com palavras bonitinhas que não significam coisa alguma, eu quero mais, eu quero tudo, mas você tem pouco pra me dar. Aliás, cê nunca teve nada, eu é que queria acreditar naquele casal perfeito que eu idealizava na minha cabeça, queria tanto que acabei criando desculpas pras suas desculpas, só assim eu conseguia me convencer de que ia dar certo. Não ia, nem deu, era óbvio porque você nunca quis que desse.

Cê se julgava bom demais pra ficar comigo, mas no fundo sabia, como hoje eu sei, que uma hora eu ia ver que merecia coisa melhor e cairia fora. Eu descobri e nem é difícil de achar alguém que seja, sabe? Melhor que você tá cheio por ai, mas será que você vai achar alguém pra me substituir? Será que cê vai conseguir alguém que te ame como eu amei? Alguém que aceite todos os seus defeitos sem apontá-los? Sinto muito, mas eu acho que não. A questão é que quando você se tocar disso vai ser tarde demais, por sinal, já é. A porta tá fechada e a minha vida também, doeu guardar as nossas fotos, trancar a gaveta e jogar a chave fora, mas foi necessário, com os tombos a gente aprende a só deixar entrar nas nossas vidas quem vai agregar e você suga. É ruim te ter por perto. Depois de pastar muito atrás de alguém que só sabia fugir de mim e achar que eu não podia me completar sozinha eu entendi que eu só não posso, como devo, na minha vida só deve entrar quem quiser somar, se você não sabe fazer isso pelo menos não vem me diminuir.

Antes deu ir embora e jogar a toalha pra cima de você, cê me pediu um texto, pestanejei muito em fazê-lo, cê não merece consideração alguma da minha parte, mas mesmo assim aqui está ele. Espero que cê seja feliz, mas bem longe de mim.

2 comentários:

  1. Ameii o seu texto
    Você falou tudo o que eu queria ter dito na cara daquele babaca que só me fazia mau.
    Mas hoje graças a Deus me livrei dele e lendo os seus textos tomei mais coagem ainda para trancar a chave e me amar mais obrigada
    Gabreila Freitas 😁😁😁

    ResponderExcluir
  2. Ameii o seu texto
    Você falou tudo o que eu queria ter dito na cara daquele babaca que só me fazia mau.
    Mas hoje graças a Deus me livrei dele e lendo os seus textos tomei mais coagem ainda para trancar a chave e me amar mais obrigada
    Gabreila Freitas 😁😁😁

    ResponderExcluir

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." — Antoine de Saint-Exupéry — Cative-me.