Nova Perspectiva

6 de janeiro de 2016

Precisei tirar um tempo pra mim

Via reprodução
Encaro o armário vazio na minha frente procurando inconscientemente por algo que eu sei que não vai mais voltar. Melhor assim. Foram dias difíceis, moreno, mas as coisas andam melhor agora. Eu precisei ir embora, mas isso não foi um ato de coragem, ao contrário do que muitos pensam. Não teve nada de heroico em fugir da nossa história, abrir de mão de você foi um grito de sobrevivência, eu precise, porque não podia mais ficar te esperando. Eu não tinha mais tempo pra gente, moreno. Depois de tantos anos e de tantos choros e de tantas promessas vazias, eu precisei tirar um tempo pra mim.

Às vezes a gente acaba descobrindo que o melhor caminho a se escolher não é o mais rápido. Nem o mais fácil. Pra conseguir te deixar pra trás e seguir em frente eu tive que enfrentar uma longa caminhada. Foi mais exaustivo do que você pode imaginar, eu precisei usar todo o meu estoque de força pra não desistir na metade, e eu quis diversas vezes voltar correndo pra ver se você já tinha voltado, mas depois de conseguir dar o primeiro passo e enfrentar tudo aquilo, você voltar já não fazia tanta diferença. Então eu continuava, com o corpo doendo e a cabeça pesada, mas eu continuava, porque eu podia desistir do mundo, mas não podia desistir de mim.

No fundo nunca foi uma luta contra você. Nunca foi uma luta contra nós dois. Nem contra a nossa história que, coitada, nem chegou a existir. Aquela foi uma luta minha contra eu mesma. Eu precisei enfrentar todos os meus fantasmas e medos e dramas pra chegar até o final. Eu precisei de um tempo longe de tudo, pra me dar conta de que aquilo não valia nada. Eu precisei esfolar o joelho até que ele ficasse em carne viva pra me dar conta de que nem todo amor do mundo vale o meu amor. Eu caí várias vezes ao longo dessa caminhada e foi só assim que eu me dei conta de que eu já estava no chão fazia muito tempo. Eu precisei te odiar muito e me odiar muito e odiar todo o resto muito pra perceber que o meu amor só depende de mim.

Quando eu fui embora, sem deixar nenhum bilhete de despedida ou mensagem na sua caixa postal, eu tava desesperada, eu precisava pular fora antes que não desse mais, agi por reflexo porque se eu não caísse fora naquela hora, eu nunca mais ia conseguir. E eu precisava ir. Eu precisava sair de você pra buscar por mim. Eu precisava tirar um tempo só pra mim, moreno. E eu tirei. Eu precisava me desligar de tudo, e eu me desliguei. E eu venci, no final, eu venci. Eu venci meu medo de ficar sozinha, venci a ideia de que não podia ser feliz se não fosse com você, venci meus dramas de mocinha de novela mexicana, venci meus traumas, meu coração dilacerado e aquele aperto na boca do estômago que mal me deixava respirar. Eu venci você, o mundo e à mim. Eu venci porque, e só porque, de todas as opções que eu tive escolhi a mais sensata, pela primeira vez eu arrisquei em mim.

2 comentários:

  1. Meu Deus esse texto foi feito praticamente pra mim .. Disse tudo o que esta acontecendo .. Ainda não cheguei na fase do "venci" mas vou continuar firme nisso .. Gabi parabens pelo seu trabalho �� continue sempre assim .. Você arrasa sempre ❤������

    ResponderExcluir
  2. Nossa, tudo que eu precisava ler está aqui ! Amei seu texto, maravilhoso <3

    ResponderExcluir

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." — Antoine de Saint-Exupéry — Cative-me.