Nova Perspectiva

29 de janeiro de 2016

Agora eu já não quero mais

Via reprodução
Eu sei moreno. Eu sei que isso tudo parece loucura porque eu chorei tempo demais te esperando perceber que eu estava te esperando e então viesse atrás de mim. Eu briguei com muita gente que era contra essa história só pra poder continuar aqui, com a porta escancarada aguardando o dia em que você se daria conta de que aqui era o teu lugar e então viria em busca de uma segunda chance. No fundo eu já sabia que você vinha, tinha algo em mim que gritava que você ainda ia querer entrar e tomar uma xícara de café e dividir as escovar de dente.

Nos piores momentos eu fiz promessas impossíveis de serem cumpridas, daquelas que a gente faz sem esperança de que se realizem, orei descontroladamente aos prantos pedindo a Deus pra que te trouxesse pra mim e até pro Santo Antônio eu apelei. Eu sei que virei o mundo do avesso pra te trazer até aqui, moreno, fui até o outro lado do oceano só pra tentar chamar a sua atenção. Fiz cartas, declarações e passei madrugadas olhando as suas fotos no facebook. Implorei, armei escândalos e acreditei que você era o melhor pra mim. Eu fiz se tudo, de tudo mesmo, pra te ter comigo, mas você demorou demais.

Às vezes a gente tá tão desesperado pra ter uma coisa que nem percebe que ela já não serve mais, então chora, berra, bate o pé, faz birra e quando ela, finalmente, chega acabamos nos perguntando: era só isso? Pois é moreno, tudo aquilo por você? Que desperdício de tempo, de lágrimas e de esforço. Cê não valia todo o meu esforço moreno, me lamento por só ter descoberto isso depois de ter me destruído incontáveis madrugadas por não saber lidar com a sua falta. Eu quis tanto ser boa demais pra você, que acabei me tornando boa demais pra mim e eu me dei conta de que eu tava me quebrando inteira pra encaixar na pessoa errada. Eu não precisava caber dentro de você, porque eu já servia em mim.

Eu até podia dizer que cê chegou tarde demais pra isso tudo soar um pouco mais dramático, mas a verdade é que eu penso o contrário: você chegou na hora certa. Esse foi o problema, moreno. Cê voltou no momento em que a ficha caiu e eu percebi que não precisava e nem queria você. Cê voltou na hora em que eu estava indo embora e, então, colocando tudo na balança me dei conta de que não valia a pena continuar aqui por você. Não valia a pena estender um pouco mais esse capítulo e tentar mais uma vez, não valia a pena pegar o próximo trem só pra ter mais cinco minutinhos ao seu lado. Cê não valia o meu atraso, porque você vale pouco, bem pouco, quase nada e eu já não estou mais afim de lidar com bijuteria.

2 comentários:

  1. Nossa, Gabi. Me vi neste texto, porém, ainda estou na parte do "No fundo eu já sabia que você vinha, tinha algo em mim que gritava que você ainda ia querer entrar e tomar uma xícara de café e dividir as escovar de dente." Estou esperando, não querendo esperar, sabe?
    No fundo eu sinto e devido a eu sentir, não consigo e não quero ninguém. Estou procurando me fortalecer primeiro, buscando novamente meu amor próprio esperando o tempo dar um jeito em tudo isso. Não é fácil! ):

    Seus textos me ajudam muito, muito obrigado! <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Toda força pra você, cê vai ver, reconquiste teu amor próprio que o resto vem com o tempo!!! Obrigada pelo carinho, um milhão de beijosss <3

      Excluir

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." — Antoine de Saint-Exupéry — Cative-me.