Nova Perspectiva

11 de dezembro de 2015

O tempo cura tudo que a gente deixa ele curar

Via reprodução
Eu sei que esse papo de que o tempo cura parece clichê, uma dessas coisas que dizem pra gente naqueles momentos em que não há mais nada para se falar, eu sei que agora não dá pra acreditar que as coisas vão melhorar porque dói um bocado ter o coração dilacerado por alguém que queríamos que fosse tudo, por alguém que a gente confiou o bastante pra se entregar de corpo e alma sem armaduras ou proteção. Eu sei que seu mundo tá desabando desde o dia em que ele anunciou que partiria porque aquilo tudo não dava mais, eu sei que você se partiu quando ele saiu pela porta sem deixar sequer um beijo de despedidas e eu sei que você acha que vai queimar pra sempre a ausência que ele faz do seu lado da cama. Eu sei que ficou difícil de acreditar que alguma coisa ainda pode ser boa e que amanhã parece distante demais pra quem não queria nem ter acordado hoje. Eu sei que você queria poder arrancar seu coração de dentro do peito pra ver se assim aliviava um pouco toda a sua vontade de fugir de tudo.

Eu sei de tudo isso, porque eu também achei que a vida tinha acabado quando ele me deixou agarrada nas memórias daquilo que a gente não chegou a viver, eu também quis me esconder no quarto e apagar tudo o que existia lá fora, pra ver se assim ficava um pouco mais fácil de esquecer de tudo. Eu também achei que essa história de tempo era conselho de quem não tem conselho pra dar e que aquela dor nunca mais ia passar. Eu também já estive assim, menina, também vi minha vida desmoronar por alguém que não merecia um terço de tudo o que eu estava passando. Eu também achei que não queria mais ninguém além dele e que o mundo se resumia aquele sorriso, tão lindo e contagiante, eu também achei que ia morrer, mas sabe de uma coisa? A gente sobrevive, menina, a gente sobrevive porque acaba descobrindo que não tem porquê morrer de amor.

Não adianta tentar apresar a vida, tudo tem uma hora certa pra acontecer e é necessário saber respeitar os nossos momentos. É importante tirar a melhor lição, mesmo que pareça que não existe nada para se aprender. Vai doer, vai sangrar, você vai querer gritar e fugir e correr e chorar, mas não tem problema, todo mundo passa por isso, cê vai querer se perder em filmes de amor regados de sorvete de chocolate e em noites enlouquecidas na balada com muito álcool e maquiagem borrada, cê ainda vai mandar mensagens e vai se arrepender de cada uma delas, porque a gente sempre se arrepende, menina, e não tem nada de errado nisso. Você vai se achar a pior pessoa do mundo, vai se culpar por ele não estar mais aqui e se odiar por ter brigado tanto. Você vai sentir, muito, mas vai ter um dia em que você vai acordar com o coração mais leve e o riso mais solto, vai ter um dia, não sei daqui uma semana ou daqui um ano, mas vai ter um dia em que você já não vai mais sentir machucar tanto, a ferida vai ganhar casquinha e se transformará em uma cicatriz pequenininha que vai te fazer lembrar que, no fim, nós somos mais fortes que uma história que deu errado.

É o tempo, menina, é ele que cura, por mais patético que seja, por mais auto ajuda que isso soe, é ele quem vem e cuida das nossas feridas, é ele quem faz a gente se dar conta de que no fim quem perdeu não fomos nós, quem desistiu do amor não foi a gente. Ele ensina que existem outros romances em branco pra gente escrever e que não vale a pena deixar de acreditar porque cruzamos com o cara errado antes de dar certo. Ele não avisa quando vem, nem como, só aparece e toca a campainha insistentemente pra entrar, vai surgindo com os dias mais amenos, vai deixando as madrugadas mais leves e os choros menos densos, vai levando toda a tempestade pro outro lado da vida e trazendo o sol de volta pros seus dias. Ele vem e leva embora o que você não serve mais, afrouxa o coração e deixa o nosso estômago respirar. Ele vem, você só precisa deixar ele entrar, só precisa aceitar que algumas coisas são como são e não há nada o que possamos fazer para mudar, cê precisa abrir a porta quando ele bater e deixar que ele tire dai de dentro o que você tanto pede pra cair fora, é só isso menina, porque o tempo cura tudo, sim, mas cura tudo o que a gente deixa ele curar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." — Antoine de Saint-Exupéry — Cative-me.