Nova Perspectiva

30 de dezembro de 2015

Agora eu to indo embora pra valer

via reprodução
Talvez eu esteja um pouco bêbada agora e isso seja o suficiente pra justificar essa ligação no meio da noite. Talvez você esteja dormindo e isso explique ter caído direto na sua caixa postal. Talvez você tenha bloqueado meu número. Tanto faz, no fundo eu prefiro assim, seja o que for, é mais fácil de vomitar tudo o que anda engasgado em mim sem ter o chiado da sua respiração do outro lado do telefone. Dessa vez eu não vou perguntar se você está bem, eu não quero saber, nem como anda o trampo e a faculdade e a sua mãe. Não me importa; Não vou perguntar se dessa vez vocês acabaram pra valer ou se vão voltar daqui algumas semanas, isso já não faz mais diferença. Eu só liguei pra que você soubesse que eu cansei e que eu to indo embora. E que eu não volto mais.

Já deu, sabe? Eu te esperei tempo demais e te dei todas as chances de descobrir que eu era o amor da sua vida. Porque eu era, e eu estava aqui o tempo todo esperando que você me visse e entendesse que as coisas eram mais simples do que você estava pintando na sua cabeça. Eu fui deixando a minha vida pausada porque eu achei que era a coisa certa a se fazer, eu achei que você ia voltar nem que fosse pra conferir que eu ainda estava aqui. E eu estava, entende? Eu estive por muito tempo. Eu estive porque eu acreditava que por nós valia a pena. Eu perdi algumas oportunidades e alguns caras e algumas histórias porque dentro de mim algo gritava que a gente ainda não tinha acabado. Mas nós acabamos, não é? Acabamos bem antes que tivéssemos tido alguma chance de começar.

Nós acabamos porque você estragou tudo. Você sempre estraga tudo. Acabamos porque você foi embora antes da hora da partida e não me levou junto e eu teria ido se você quisesse. Eu teria ido pra qualquer lugar com você. Mas cê me deixou pra trás porque não queria me carregar na bagagem. Você nunca quis que déssemos certo. Por isso demos tão errado. E mesmo assim eu gostava da gente. Mesmo estando na cara que nem sequer existíamos ainda. Mesmo sendo óbvio que você nunca conseguiu apostar em nós. E que podíamos ter valido tanto, cara. O nosso amor podia virar ouro, de tão valioso. Mas cê não foi um bom minerador. Você não foi bom em nada. Nunca. E mesmo assim eu quis tentar e tentar e tentar e pra isso eu te esperei, mas agora chega, agora não dá mais.

Eu não quero ser pra sempre a sombra de uma história que não virou realidade. To acabando com tudo agora, por telefone, com um recado na sua caixa postal. To acabando com o nosso lindo romance que não saiu do papel e com o casal que podíamos ter sido se você tivesse deixado de olhar pro lado e olhado pra mim. To acabando, amor, porque já me acabei demais te esperando. E eu vou embora, dessa vez pra valer, dessa vez pro resto da vida, então se eu ainda tiver algum motivo pra repensar minha decisão grita agora, mas grita bem alto pro mundo todo ouvir, grita que talvez, e só talvez, eu fique um pouco mais, mas se não tiver tudo bem, só não me peça pra voltar. Nunca mais. Que eu vou fazer o mundo me ouvir, já que cê nunca tentou me escutar.

4 comentários:

  1. Maravilhosamente divino, parabéns, sério! Não consigo descrever o quanto você me acalma com seus textos e me faz ver que AMOR PRÓPRIO É TUDO.

    ResponderExcluir
  2. Comecei ler seus textos tem pouco tempo, e nossa eles são maravilhosos. Parabéns

    ResponderExcluir
  3. Menina do céu <3 <3 <3 <3

    ResponderExcluir

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." — Antoine de Saint-Exupéry — Cative-me.