Nova Perspectiva

18 de setembro de 2015

Namore um cara engraçado

Via reprodução
Eu sei que a gente passa a vida procurando o príncipe encantado pra juntar as escovas de dentes e morar em um apartamento confortável com um casal de filhos. Quebramos a cabeça lutando pelo tal do cara perfeito, aquele disputadíssimo, que vive com o celular cheio de notificações com garotas que nem percebem o tempo que tão desperdiçando. A gente cisma com esses homens, sabe? Montados num discursinho barato de galanteador de Hollywood, que trazem flores, seguraram na nossa mão e gostam de bancar o homem dos sonhos. Mas depois de sair com alguns príncipes Harry da vida real, eu descobri que o cara no cavalo branco é um saco.

Ele vai mentir, vai prometer mundos e fundos, mas vai sair na ponta dos pés da sua casa antes do sol aparecer, e nem adianta esperar por uma ligação no meio do dia ou pela campainha sendo disparada durante a madrugada, ele só volta daqui uns dias, com uma desculpinha fajuta e um sorriso de desmontar coração. É legal durante certo tempo, aquela agonia no coração e a intensidade de uma relação conturbada, mas uma hora fica sem graça. Amores errados sempre causam certo frio na barriga, mas é igual férias: uma hora cansa. Eu cansei. A gente enjoa de assistir o mesmo filme narrado por outras bocas, como um dejavu que se repete o tempo todo, e começa a perceber que o mundo é grande demais pra se prender em um estereótipo de filme da Disney. Você não precisa ter o seu felizes para sempre com um cara que dizem ser perfeito.

Por isso, namore um cara engraçado que vai transformar qualquer tsunami em marolinha. Aquele das piadas espontâneas, que leva a vida com humor e te faz esquecer o dia-a-dia corrido da casa pra faculdade, da faculdade pro trabalho, e do trabalho pra casa. Enquanto você berra palavrões inimagináveis para o babaca que acabou de me fechar no trânsito, ele vai fazer graça sobre a sua mania de arrumar encrenca por tudo em qualquer lugar. O cara engraçado é aquele que enquanto você leva meia eternidade para decidir entre a saia preta e o vestido bordo, vai rir da sua indecisão, falando em um tom de brincadeira que sua única certeza na vida foi ele, e nesse momento a gente sorri involuntariamente tentando esconder que, felizmente, ele tem toda razão. Namore um cara engraçado, que sabe fazer stand up com a vida, que faz brotar margaridas no meio do inverno e uma garoa fininha no final das tardes de verão. Ele vai te fazer rir, assim, sem querer, querendo, no meio de uma briga, no auge da TPM e vendo filmes de terror. Mas quando o momento exige seriedade ele também vai saber vestir o terno e fechar a cara. Ele também vai ser lindo de terno, mas é impossível resistir quando se veste com aquele sorriso. Ele vai ser o seu pontinho de paz, no meio dessa guerra.

Namore um cara engraçado que te arranque risadas sem motivo, que deixa seu dia mais leve e os problemas menos cabeludos. Namore um cara que transforma o inverno em verão, o outono em primavera e o pior dia da sua vida no melhor de todos eles. Namore um cara que vive com leveza, com calma, com doçura, um cara que te anime, te coloque pra cima e te faça feliz. Namore um cara que te faça rir, porque, segunda a medicina, rir diminui o estresse, aumenta o nível de endorfina e faz bem pro coração. E é melhor do que cair do cavalo.

4 comentários:

  1. Gabriela, você escreve muito bem, parabéns! Mas você já deve ter ouvido bastante isso, não? Quando eu estiver namorando, espero ser esse cara engraçado, porque tô longe de ser o príncipe encantado no cavalo branco, e muito menos o requisitado HAHAHAHA. Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ahahahah querido!! Muito obrigada ♥ e viva os caras engraçados!!

      Excluir
    2. Ainda bem que sou muito engraçado kkk

      Excluir
  2. Que texto incrível Gabi, simplesmente incrível. Você escreve muito bem, seus textos são muito inspiradores! Sou sua fã!
    Beijos ♥
    http://www.ladystronger.com.br/

    ResponderExcluir

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." — Antoine de Saint-Exupéry — Cative-me.