Nova Perspectiva

26 de setembro de 2015

Eu amo o futuro que a gente não teve

Via reprodução
Tudo o que eu amo em nós, é exatamente tudo o que nunca chegou a acontecer. Eu amo aquele beijo roubado no meio de uma tarde chuvosa, que secou enquanto eu aguardava pelos seus lábios. Amo aquele jantar romântico no meio de uma praia deserta, que a gente não chegou a fazer. Amo o buquê de flores no dia dos namorados, que você não me entregou, porque entre tantas idas e vindas, nós nunca duramos até lá. Amo todas as declarações de amor que ficaram caladas dentro de você. Amo as promessas que não puderam ser cumpridas, as brigas que a gente não desfez com risadas em cima da sua cama, as viagens esquecidas em um amanhã que jamais vai chegar, os nomes dos filhos que a gente não deu, as músicas que não se tornaram nossas trilhas sonoras. A história que não conseguimos viver, porque você acabou estragando antes que tivéssemos chance de começar.

Amei o romance que eu montei e encenei dentro dos meus devaneios antes de pegar no sono. Amei cada surpresa que você não me fez, cada abraço que você não me deu, e cada instante que a sua mão quase foi esquecida em cima da minha, mas aí você lembrava que dentre todas as coisas que cercavam a sua vida, aquela era a menos importante. Eu era a menos importante. E mesmo assim eu amei a ideia de poder ser o seu primeiro pensamento do dia. Amei as mensagens durante as madrugadas frias de inverno que a gente não trocou, amei os filmes românticos nos finais de domingo que não vimos, as séries que a gente não chegou a acompanhar ao mesmo tempo, amei os livros entreabertos e inacabados perdidos dentro da estante com o desejo de que, como eles, a gente durasse um pouco mais. Amei a vontade de que fosse você.

Eu queria que a gente desse certo, sabe? Eu queria mais do que tudo que a gente desse certo, porque eu acreditava que só podia ser feliz se fosse com você, eu só queria ser feliz se fosse com você. O meu erro foi não ter percebido que cê não queria o mesmo. Durante um bom tempo eu estive tão cega pela ânsia de um futuro ao seu lado, que mal pude ver que ali, logo no começo, pouco caminhávamos juntos. Você estava sempre apressado, ocupado, cansado, e eu, tola, fui ficando pra trás, fui me perdendo da consciência de que não existia nada e acabei tornando você o meu tudo. Eu sonhei acordada com um punhado de coisas que nunca aconteceram, porque você nunca fez muita questão de que elas desse certo, você nunca fez muita questão de nada entre nós dois. No fim, eu acabei amando uma história que nem chegou a acontecer, chorei por um futuro que nem ao menos tinha como se concretizar e por um amor que não podia existir, porque o cara que eu amava não era você, ele não existia, era o príncipe encantado que eu criei e quis, muito, que fosse você. Fomos um romance esquizofrênico, até que bonitinho dentro de mim, mas do lado de fora um grande desastre, desses que apertam a alma e deixam cicatrizes eternas. Eu amei uma história, que de real só teve a ferida que ficou depois do final.

3 comentários:

  1. Simplesmente Perfeito!! :)

    ResponderExcluir
  2. Meu deus, esse texto foi escrito pra mim! Não acredito que suas palavras conseuiram descrever intensamente que eu sinto. Sério, estou chocada... Amei monstruosamente esse texto e todos os outros que você escreveu. Acho que vou passar mais duas horas aqui rolando as páginas.
    http://palavrasambulantes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Eu simplesmente AMO seus textos. Parece que você sabe de toda a minha vida e vai escrevendo hahaha sério você consegue me emocionar em cada novo texto que escreve. Até porque acho que todas já tivemos "o moreno" do qual sentimos imã imensa falta. Beijaaaao.

    ResponderExcluir

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." — Antoine de Saint-Exupéry — Cative-me.