Nova Perspectiva

24 de agosto de 2015

De novo, nós

Via reprodução
Eu sei que a gente devia parar um pouco para respirar e digerir tudo isso que está acontecendo, porque tem muita coisa pra ajeitar e muitos “is” sem pingos pra arrumar. Não dá pra fingir que isso é tudo uma grande novidade. No fundo, eu sei que não está certo esquecermos que já deu errado uma vez e saltarmos de cabeça em um precipício que já conhecemos o final. A gente já tentou antes, lembra? E eu precisei fugir de nós pra não me quebrar ainda mais dentro de você, mas eu te olho de canto e você também está me olhando e eu sinto uma vontade louca de correr até o seu abraço e me perder de novo dentro do seu peito.

Eu sei que agora nada disso está fazendo muito sentido e tudo bem porque eu nunca entendi nada entre a gente mesmo. Na verdade, nunca teve muito o que entender no meio desse nosso caos sentimental. Eu sei que isso não está certo e que eu devia vomitar toda a dor que eu colecionei durante esses anos em que eu estive sozinha esperando você criar coragem de me fazer ter coragem. Eu não devia escancarar desse jeito a porta da minha vida pra você voltar, e nem te pedir pra ficar até mais tarde, eu sei, a gente devia sentar um pouco antes de pular de cabeça e se quebrar mais uma vez, porque a gente sempre se machuca.

Eu sei que isso tudo tá muito torto e que pode acabar mal. Eu sei que a gente está correndo um grande risco de quebrar a cara ou o coração. Eu sei, entende? E sei que você sabe também, e que a gente deveria sentar e colocar o papo em dia antes de se jogar de boca, na boca do outro, mas eu não quero falar, nem posso. Só quero que você fique um pouco mais, até amanhã e depois e depois e a gente vai vivendo dessa loucura até descobrir onde é que isso vai dar. Eu esperei por isso tempo demais pra perder tempo tentando encaixar um quebra-cabeça que nunca foi muito completo. Talvez a gente seja aquele tipo de amor projetado pra dar errado, mas que vive insistindo em dar certo e quem sabe, numa dessas, a gente não consegue dar? Vai saber.

Eu sei que de fora isso faz menos sentido do que de dentro, e que a gente já passou da idade de acreditar em contos de fada, mas entre nós sempre foi tudo tão confuso que a gente pode ser qualquer coisa. Eu prefiro acreditar que a gente é pra sempre. Então fica aqui sem tentar explicar nada porque eu não quero saber o que te fez ir embora, nem o que te impediu de me segurar e nem o que aconteceu pra você voltar. Eu não quero nos entender, nunca quis. Só quero que você fique pertinho e deixe o seu coração bater no meu. No fundo, eu já sabia que você vinha. Fala nada não, só fecha os olhos e se joga comigo, quem sabe dessa vez nossas mãos não aguentam o atrito do vento e a gente não cai junto.

Um comentário:

  1. Conto a historia do meu amor furacão resumida, pena que nem todos os casais no fim ficam juntos. Seria uma ótima hora pra ter ele perto de mim... :-( :-( :-(

    ResponderExcluir

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." — Antoine de Saint-Exupéry — Cative-me.