Nova Perspectiva

4 de agosto de 2015

A verdade é que o problema era mesmo você

Via reprodução
Quando você bateu a porta de casa levando todas as nossas promessas na sua bagagem eu cheguei a acreditar que a culpa era minha. Naquele momento em que a dor foi maior que qualquer outro sentimento, a única coisa que passava pela minha cabeça era que você tinha jogado a toalha porque lutou sozinho e eu não tinha feito por merecer. Se eu tivesse cedido mais e gritado menos talvez você não tivesse fugido da gente, se eu tivesse sido mais paciente e te cobrado menos talvez você não tivesse cansado da nossa história. Se eu tivesse sido o melhor pra você, cê não teria ido atrás de outro melhor. Chorei sozinha no sofá da sala até o sol se pôr e prometi que eu ia fazer de tudo pra você voltar, te arranjei um espaço maior no quarto e na minha vida, comprei alguns jogos novos e topei ceder à televisão todo dia que houvesse jogo, mas nada fez com que você mudasse de ideia.

Entrei pra academia e comecei um regime pesado, quem sabe desse jeito você voltasse a me amar. Tingi o cabelo, mudei de lugar os móveis e importei a sua cerveja favorita. Eu fiz de tudo pra me moldar em você, fui me esquecendo aos poucos pra que você coubesse cada vez mais em mim, só que foi em vão, àquela altura você já tinha um novo alguém, eu não entendia o que ela tinha feito que eu ainda não tinha tentado e eu me culpava pelo nosso final, como se você tivesse feito tudo e eu não me importasse com nada, eu fiquei tão cega que não conseguia enxergar que eu tinha feito muito mais por você do que você por mim. Eu sofri em dobro quando deixei o peso do fracasso do nosso amor ficar só nas minhas costas quando, na verdade, ele era um fardo só seu.

O que eu não consegui perceber naquele instante em que você ajeitou a mala no carro e olhou pra mim com piedade sussurrando “o problema não é você, sou eu”, é que cê tinha mesmo razão. O problema nunca fui eu. Demorei muito pra entender isso, eu estava tão desesperada pra recolher os caquinhos que tinham sobrado de nós e reconstruir o nosso amor, que eu nem percebi que era você a brisa que nos jogava cada vez pra mais longe. Eu passei todos esses anos lutando pra reerguer uma história com a estrutura toda rachada enquanto você lutava pra quebrar cada vez mais os nossos alicerces. Eu já estava sozinha nesse barco muito antes de você anunciar que tava pulando fora, eu só não estava pronta pra aceitar isso. 

No fundo era mais fácil carregar sozinha essa carga do que admitir que a gente tinha acabado de verdade. Na medida em que a culpa era só minha ainda tínhamos alguma chance, no momento em que eu resolvi engolir a realidade em um gole só e assumir que a culpa era sua, precisei, também, abrir os olhos pra tudo que vinha acontecendo e admitir que não tínhamos mais nada pra ser. Nós já não éramos há sei lá quando tempo. Por isso toma aqui a mochila arruinada que você esqueceu em casa, o peso da nossa derrota fica com você, eu prefiro seguir o meu caminho de um jeito mais leve.

5 comentários:

  1. Você é excepcional!!!! Um livro,por favorrrr!!

    ResponderExcluir
  2. Maaaaaravilhosa gente você leu minha mente impossível né 😍😍😍😍 apaixonadaaaaa

    ResponderExcluir
  3. Abandonar é crescer, não?
    Mais uma exemplo da sua literatura peculiar, impossível não saber que é algo seu, Gabriela.

    Não esqueça que temos uma grande história pra publicar!

    ResponderExcluir

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." — Antoine de Saint-Exupéry — Cative-me.