Nova Perspectiva

22 de agosto de 2015

A gente precisa ter Fé, seja no que for

Via reprodução
Vez ou outra, sem mandar aviso prévio, a vida resolve mudar de direção dando loopings que te fazem desafiar as leis da gravidade. Penso nisso enquanto meu professor de filosofia cita uma frase de Sócrates “Só sei que nada sei, e o fato de saber isso, me coloca em vantagem sobre aqueles que acham que sabem alguma coisa”. Eu sempre soube de tudo, cara, ou, pelo menos, eu achava que sabia, tanto faz.

Talvez seja coisa do meu signo essa mania de ser meio dona da razão, mas durante todos esses anos nenhuma incógnita foi incógnita pra mim, eu sempre soube dizer qual clima faria no dia seguinte e quando é que ia chover, tinha anotado em um caderninho o que eu faria no final de semana e onde eu estaria daqui alguns anos. Eu sabia quando eu ia me casar, em que período da minha vida eu sairia da casa dos meus pais pra me jogar no meu cantinho e a data daquele intercâmbio pra Europa. Porém, de um tempo pra cá as coisas andam saindo do meu controle, ainda estou solteira, desempregada e com a grana apertada. Talvez seja a crise dos 20, talvez seja a crise do mundo, mas, de repente, eu também só sei que nada sei, e pode ser que isso seja tudo o que eu preciso saber.

Se a vida realmente dá esses giros de 360 graus pra depois voltar a andar pra frente, eu posso afirmar que a minha, agora, está de ponta cabeça. Amanhã parece distante demais pra ser real, mas o ano que vem já está batendo na porta de 2015 e eu não sei o que esperar dos próximos meses, quem dirá dos próximos dias. Pode ser que domingo faça frio, embora eu tenha ouvido por aí que este está sendo o inverno com mais cara de verão do século eu resolvi retirar a jaqueta e o cachecol do armário na esperança de que essa frente fria finalmente chegue. Quem sabe no final do ano eu não faço aquela viagem que eu tanto programei pra Argentina, apesar do dinheiro andar contado e o orçamento fechando no vermelho eu não deixo de olhar os pacotes sempre que passo em frente à uma empresa de turismo.

A verdade é que já faz um tempo que algumas coisas começaram a dar errado, no começo eu até fiquei irritada e com vontade de bater com a cabeça na parede pra ver se, assim, tudo não voltava ao normal. Mas, algumas vezes, a vida só segue o rumo que ela precisa tomar. Eu perdi alguns planos, abdiquei de algumas vontades e deixei pra depois alguns sonhos porque a realidade já anda difícil demais, mas no meio dessa montanha russa eu ainda tenho a minha Fé e é ela quem me faz acreditar que logo, logo, vai fazer frio, porque meus olhos precisam de um tempo mais úmido e a minha garganta não aguenta mais o gosto dessas pastilhas baratas, é ela que me move pra papeladas e orçamentos e projetos e mapas de pontos turísticos de um lugar que eu sempre quis conhecer.

É a minha fé que me faz abrir os olhos sem vontade de jogar a vida para o ar e sair correndo. É a Fé quem nos mantém em pé. É aquela esperança de que amanhã o céu vai estar mais azul — ou mais nublado, se tudo der certo. É a vontade de saltar todas as barreiras pra chegar seja lá onde for que precisamos ir. É o não abaixar a cabeça para as armadilhas, os buracos e as pedras que vão aparecendo durante a nossa caminhada. É o sorriso no rosto quando o mundo parece estar desabando. É a Fé que nos carrega no colo quando o calo aperta e a gente não consegue mais seguir em frente, é ela, seja em quem ela for, em um Deus, no futuro, no amor, em alguém, quem sabe em você. Qualquer Fé. Aquela que grita: segunda-feira não é tão ruim assim, e não é mesmo, juro! É só mais uma chance de fazer tudo melhor do que foi semana passada.

Vai ficar tudo bem, não importa o quanto esteja ruim, é isso que a minha Fé grita, e eu acredito, porque eu não ando sabendo de nada e isso é tudo o que eu preciso agora: não saber. Uma hora o looping acaba e a gente volta a andar na direção correta, a gente só precisa acreditar, seja no que for.

Um comentário:

  1. Esse texto é um tanto motivacional. Nós que desejamos saber o suficiente para ditar o nosso futuro, sempre de certa forma quebramos a cara com alguns acasos que a vida nos dá. O fato de se haver fé de que isso é só uma fase necessária para a conclusão do nosso desenvolvimento, é que nos torna humanos. Tem que haver fé em algo, não importa o que seja!!! Parabéns.

    ResponderExcluir

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." — Antoine de Saint-Exupéry — Cative-me.