Nova Perspectiva

31 de julho de 2015

Não importa, ele vem

Via reprodução
Dia desses vocês vão se cruzar em alguma rua enquanto você passa apressada com um copo de café em uma das mãos e uma papelada abarrotada naquela pasta laranja, que você precisa trocar, na outra e ele vai te atravessar as pressas atrasado pra mais uma reunião com o chefe depois de alguma dessas baladas que vai sem nem saber o porquê. O café vai voar pra longe e os papéis dele vão parar no meio da rua e vocês vão rir caídos na calçada dessa confusão gerada quando seus olhos se cruzarem. Ou então vão se conhecer naquele barzinho que os teus amigos vivem te convidando pra ir e você nunca tem tempo, vão se olhar meio desconfiados tentando entender aquela familiaridade toda entre vocês. Ele vai te oferecer uma bebida e você vai dividir o seu cigarro e a noite vai durar mais do que o seu relógio havia programado. Vai ter alguma coisa ali, no jeito como a alma de vocês se completam, na maneira que as suas mãos parecem dançar no ar do mesmo jeito que as dele e na forma como ele sorri pra você insinuando que aquele sorriso é só seu. Vai ter algo ali, que vai fazer tudo ter sentido.

Talvez vocês se encontrem bem no dia daquela tua viagem pro exterior, tudo vai estar tão corrido que vocês nem vão perceber as bagagens trocadas, ele vai levar a sua mala pro hotel e rir da sua calcinha de ursinho tentando imaginar a mulher por trás dela e vai se apaixonar sem nem saber teu rosto. Você vai se deparar com uma coleção de camisa de futebol cheirando à perfume barato e um cartão com o nome dele, vai ligar algumas vezes até que uma voz rouca do outro lado vai chamar por você fazendo suas pernas bambearem. Pode ser que ele seja o seu colega de trabalho, aquele que tem o cheiro gostoso e que senta todo dia ao seu lado e você nunca perguntou o nome, talvez vocês se encontrem depois de alguma reunião matinal que parece se estender pela vida toda e ele te chame pra almoçar num restaurante gostosinho ali perto, vocês vão pedir o mesmo prato com uma jarra de suco de morango, conversarão sobre o chefe, a comédia que acabou de ser lançada no cinema e o show daquela banda americana que tá custando uma fortuna, vão rir da afinidade toda que vai surgir logo de imediato e se perguntarão como é que não tinham se enxergado antes.

Quem sabe ele não esteja bem mais perto do que você imagina, talvez seja aquele seu vizinho de cima que você nunca viu direito, mas vive implicando com as músicas altas que ele escuta aos finais de semana e com o fato de que leva sempre uma nova namorada pra conhecer sua casa, quem sabe ele não tá só esperando você se dar conta que naquele som fora do volume convencional tem um convite pra você interfonar no apartamento dele e ele poder te convidar pra um filminho mais tarde. Ou ele seja aquele cara que pega o mesmo ônibus que você todo santo dia, mas não tira o olho da janela e o fone do ouvido, mas que dia desses vai estar cansado demais e sem bateria e vai sentar no mesmo banco que o seu e reparar que o sorriso é um dos mais bonitos que já viu e você vai se perder naqueles olhos castanhos e tudo vai ficar mais claro. Vai ter alguma coisa ali, sabe? No modo como o seu sorriso enverga pro mesmo lado que o dele e nas covinhas que seus olhos fazem quando vocês riem.

Quem sabe ele não tá por ai, andando por essas avenidas movimentadas e querendo se esconder nessas esquinas sem graça, cheio de feridas e de tentativas de romances mal sucedidos, igualzinho você, só esperando por mais uma chance de tentar ser feliz. Quem sabe vocês não viram numa dessas esquinas ao mesmo tempo e se acham. Pode ser amanhã ou depois ou no mês que vem. Pode ser que seja no meio de uma festa lotada ou em um corredor vazio. Pode ser que já seja, vocês só não saibam ainda. Mas vai ter alguma coisa ali, no modo como tudo parece se encaixar quando vocês tão juntos e na maneira como o beijo de vocês combinam. Vai ter alguma coisa que vai fazer você entender o porquê dele ter demorado tanto. E talvez demore um pouco mais, ainda, mas não importa, ele vem, pode deixar, dia desses ele chega, muda tudo do lugar, ajeita sua vida na dele e faz o resto todo fazer sentido.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." — Antoine de Saint-Exupéry — Cative-me.