Nova Perspectiva

14 de junho de 2015

Só hoje eu ainda vou amar você

Via reprodução
Agora, enquanto a noite é engolida pelo relógio, eu choro num silêncio doído de quem esconde do mundo os hematomas que tanta porrada da vida deixou. Eu choro, porque já se foram dias e meses e anos e ainda é você, ainda são as nossas lembranças regando a minha insônia e o seu cheiro colado no travesseiro abandonado do lado esquerda da cama. Ainda é o porta-retrato com a sua foto que eu quebrei no mês passado, mas não tive coragem de jogar fora. Ainda é amor. Um amor que sufoca cada poro do meu corpo implorando pela sensação das suas mãos me percorrendo. Mas é só hoje, amanhã já vai ser passado enterrando, história acabada, romance sem graça. Eu juro.

É só hoje porque de tarde eu bebi café demais e agora não consigo dormi, porque eu abri uma foto sua e o seu sorriso golpeou o meu estômago. Porque eu lembrei do dia em que você falou que me amava e eu, trouxa, acreditei. Porque hoje a madrugada parece interminável e um nó se alocou no meio da minha garganta com todas as coisas que eu pensei em te falar e não disse por vergonha de confessar que você não merecia, mas eu te amava. Eu te amava muito, moreno. E hoje eu ainda te amo. Mas é só hoje, enquanto o sol não aparece e os Simpsons não volta do comercial. É só porque eu assisti um filme que lembrava nós dois e senti uma vontade desesperada de ligar pra te contar que a nossa história tava passando no Netflix e aí eu lembrei que você trocou de número – e de amor. É só hoje, eu juro. Amanhã não vai ser mais nada. Nem saudades, nem amor, nem desejo. Vai ser vazio, prometo.

É só porque tá fazendo um frio danado dentro de mim e eu só consigo pensar em como seu corpo esquentava o meu, só porque eu fiz brigadeiro e ouvi sua voz dizendo que tava maravilhoso mas não tinha ninguém aqui, só essa maldita saudade que esmaga todas as estratégias que eu crio pra te esquecer. É só até o despertador me lembrar dos trabalhos inacabados pra entregar e das provas que eu preciso estudar. É só porque tá tarde e eu não tenho pra onde fugir e eu queria muito o seu abraço. É só enquanto eu ensaio alguma nova desculpa pra me enganar com algum outro cara na esperança de me convencer de que acabou. Não acabou? Eu queria que não. É só hoje, tá bem!? Depois passa, eu sei que passa, e essa angustia vai embora me deixando com todos os impulsos que eu não tive.

É só hoje que eu vou lembrar de todas as promessas que a gente não cumpriu e vou chorar quietinha no canto do travesseiro rezando pra isso passar e você voltar. É só hoje que eu vou ensaiar ligações e inventar motivos pra te procurar. É só porque eu vou levando os dias, mas você não desgruda do meu coração. É só até a tempestade passar e o verão voltar. É só hoje que eu vou te amar. Amanhã eu prometo que não. Amanhã eu vou sacudir os vestígios do nosso nós que um dia existiu e dar a volta por cima. Amanhã eu vou me livrar daquele porta-retrato e encontrar uma imagem melhor que os seus olhos grudados nos meus. Amanhã eu vou encher a cabeça com coisas mais importantes do que esse amor que nem vai mais estar aqui e vou cuidar de encarar essas feridas de um jeito mais maduro. Te juro. Amanhã vai ser um novo dia de um novo tempo e a vida vai ser diferente.

Nosso amor é um feto que eu, inutilmente, insisto em tentar abortar. Mas, só hoje, eu vou deixar ele viver mais um pouquinho. Só hoje, eu juro, eu ainda vou amar você. E amanhã também.

Um comentário:

  1. De vez ou outra, amor eterno, tão curto quanto o orgasmo q vc fingiu sentir na última vez q sonhei contigo. O amor é isso, fantasia loca de labios sedentos por beijar.

    ResponderExcluir

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." — Antoine de Saint-Exupéry — Cative-me.