Nova Perspectiva

28 de junho de 2015

Presta um pouquinho de atenção aqui, menina

Via reprodução
E se eu te disser que ele não te ama, você vai acreditar? E se eu te disser que ele nem vai ser o único cara que vai te prometer o mundo mesmo sem sentir o estômago remexer e que não vai cumprir nenhuma dessas promessas? E se eu te disser, menina, que eu já fui você? Será que assim cê consegue confiar em mim? Será que desse jeito você deixa eu te mostrar que isso tá perigoso demais e você vai sair ainda mais machucada? Será que eu posso abrir seus olhos porque a vida tá passando e você tá sobrevivendo das migalhas de um amor que nem existe? Deixa eu tentar te contar que eu também chorava esperando pela mensagem que não chegava e engolia o amor-próprio pra não ter de engolir o amor por ele. Deixa eu te contar que ele era o único e que eu fazia planos de futuro sozinha, passava a madrugada criando cenários onde nós contracenávamos, tinha os nossos filhos e o cachorro e até um gato, a gente ia casar na praia, ou no campo? Eu nunca cheguei a me decidir por isso. O problema, menina, é que ele nunca quis sonhar comigo.

Talvez você não consiga ver agora, porque a gente fica um pouco cego quando tá apaixonado, e eu sei que toda essa história de que ele não é o cara certo não combina muito com o romance que você criou na sua cabeça, mas vem cá, menina, coloca esses pés no chão e toma duas doses de realidade bem forte: no final desse livro vocês não terminam juntos, em algum momento ele vai arranjar alguém - seja um amor de verdade, seja mais uma diversão - e vai cansar de você. Simples assim. Ele vai acordar mais cedo, te ver dormir, sorrir deliciosamente e vai sair com a chave do carro e a carteira - tudo que ele deixava ficar na tua casa - talvez ainda leve tuas cervejas junto dele e você não vai poder fazer nada pra impedir.

Ele vai trocar de número, de baladas e de companhia. Pode ser que vocês se esbarrem no shopping ou naquele restaurante famosinho, mas ele vai fingir que não te viu enquanto desfila de mãos dadas com outra mulher. Isso vai arder que nem fogo. E depois? Depois você vai voltar pra casa e vai chorar, vai chorar muito. Vai ver uns filmes cheinhos de drama na televisão, se encher de sorvete de chocolate com calda de caramelo e refrigerante. Vai acompanhar a vida dele pelas redes sociais e se apunhalar com cada foto deles que encontrar, e vai chorar mais. E chora mesmo, menina, chora que é no choro que o amor vai embora.

Vai ter um dia, também, que cê vai acordar decidida a seguir em frente, vai marcar salão, cortar o cabelo, mudar a cor, fazer as unhas e quando voltar pra casa vai ligar no celular da sua amiga mais baladeira e combinar o que vai ter na night, do armário você vai tirar o vestidinho mais justo e o salto mais alto, vai passar batom vermelho e encher o rosto de maquiagem pra disfarçar as semanas mal dormidas, vai tirar fotos na esperança de que ele veja, mesmo sabendo que foi ele quem te deletou naquele dia em que foi embora. No final da noite, enquanto a madrugada grita um eco solitário dentro de você e o táxi não chega, cê vai borrar a maquiagem com as lágrimas presas, vai se perguntar o que é que você estava fazendo e vai sentir um frio horrível ai dentro. Vai chegar em casa e se jogar na cama com o desejo de poder ficar aí pra sempre. E vai chorar de novo, e de novo, e vai abrir o perfil dele e curtir uma foto na expectativa de uma mensagem e vai sofrer por ter ido inutilmente de novo atrás. Vai gritar sozinha pra ver se alguém escuta que ele não te merece, nunca mereceu, mas que teu coração ainda é dele, teu corpo ainda é dele, teus sonhos ainda são dele, e tuas lágrimas também.

E aí o tempo vai passar e lá se foi mais um mês e você sofre um pouco menos agora e até começa a sorrir de vez em quando, um sorriso tímido que vai ganhando força e vai virando riso e se transforma em gargalhada e de repente não tá mais tão difícil de viver sem ele. De repente o amor virou pequeninho e se transformou em poeira e voou pra longe. Tá tudo bem agora. Cê vai se olhar no espelho e perguntar se precisava de tudo isso e vai acenar a cabeça em um sim bem leve, precisava, sim. Precisava porque ninguém vive as nossas dores, os nossos amores, as nossas quedas. Só a gente.

Então continua, menina, mesmo sabendo que ele não te ama. Mesmo sabendo que ele não é o cara certo e que ele vai embora mais cedo ou mais tarde e que isso vai doer pra caralho. Continua porque eu sei que você não vai acreditar em mim, no fundo a gente sempre acha que com a gente pode ser diferente. Não vai ser, não, menina, mas continua teu caminho e viva tua história que eu sei que um dia você vai olhar no espelho e reconhecer em si mesma o amor que te faltava.

Um comentário:

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." — Antoine de Saint-Exupéry — Cative-me.