Nova Perspectiva

5 de junho de 2015

Monólogo sem fala 5

Via reprodução
Tem um nó aqui no meio da minha garganta que não me deixa dormir, moreno. É um vômito entalado há sei lá quantos anos com tudo aquilo que eu nunca tive coragem de te dizer, com tudo que eu senti e engoli por medo de você fugir por eu parecer uma dessas loucas apaixonadas, e talvez eu fosse uma delas, ou ainda seja. Sei lá, sabe? Tem tanta coisa que eu não ando sabendo. Fui empurrando com a barriga essa necessidade de cuspir tudo que eu prendo em mim até ficar insuportável, eu não sei mais o que fazer, cara, tá tudo tão incompleto, é como se durante todos esses anos eu tivesse deixado lacunas pra que você preenchesse sozinho. No fundo eu sei que errei também. Errei quando joguei no teu colo a obrigação de fazer dar certo, errei quando esperei que você adivinhasse o que eu queria, quando eu achei que só por amar eu não precisasse fazer mais nada. Errei quando não te pedi pra ficar, quando eu fingi que você era só um jogo, uma diversão de menina mimada, errei quando eu me moldei em um personagem só pra te conquistar. Aquela não era eu, nunca foi. Errei quando não arrisquei e não gritei que eu queria, sim, que a gente tentasse pelo menos uma vez de verdade. Errei quando você me perguntou se eu te amava e eu me calei por vergonha de dizer que sim, moreno, eu te amava muito, eu te amava pra caralho, desde a primeira vez que nos vimos.

Queria que você soubesse que eu ainda penso muito em nós dois, principalmente quando eu to sozinha e não preciso mentir pra ninguém que já superei. Eu não quero superar você. Nunca quis. Entende o que isso significa? Eu nunca te esqueci, moreno, nem nunca tentei te esquecer. Durante todo esse tempo eu fiquei te esperando no mesmo lugar, inerte a qualquer movimento que a minha vida tentou dar, eu não arredei um centímetro desde que sua boca tocou a minha pela última vez. Eu não deixei de acreditar em nós, não desisti de te esperar nenhuma das vezes em que a gente se perdeu, eu estive aqui durante todo esse tempo tentando fingir pro mundo que eu já tinha me recuperado, mas não importa em quantas reabilitações eu entre, você é um vício que eu não quero perder. 

Mas eu entendo se você não voltar, talvez eu fizesse o mesmo. Atirar no escuro é sempre muito arriscado, e você sempre preferiu a vida em pratos limpos. Sempre gostou do concreto, do falado, enquanto eu sou muito menos palpável que tudo isso. Cê não soube lidar com a minha mania de deixar tudo subentendido, nem com o meu medo em expor num outdoor que pra mim só existe você. Tudo bem, moreno, eu é que devia ter dito que te esperaria a vida inteira se você garantisse que voltava, que te deixava conferir todos os perfumes do mundo só pra te ver confirmar que é o meu que combina com o teu. Você pode achar que é tarde demais e que não tem mais jeito. Eu entendo. Mas eu não posso mais, sabe? Fingir que eu já segui em frente e que isso não tem importância. Eu não consigo mais enfiar pra debaixo do tapete toda essa crença que eu ainda tenho no nosso amor.

Eu queria que você soubesse que eu ainda passo horas olhando as suas fotografias e ensaio ligações no meio da noite pra dizer que sonhei com a gente, mesmo sem ter sonhado. Que eu ainda tenho seu cheiro no meu travesseiro e não tive coragem de me desfazer das cartas que eu não te entreguei. Queria que você soubesse que eu não quero que você desista da gente, que eu me arrependo de todas as frases que eu silenciei, promessas que eu não fiz e músicas que eu não cantei. Me arrependo daquele eu te amo que eu não disse e de não ter te pedido pra ficar. Queria que você soubesse que ainda me dói tanto a sua falta, sabe? Parece que tem um buraco dentro do meu coração e só você pode me curar. Só você pode calar essa angustia no meu peito. E eu ainda to aqui, do mesmo jeitinho que você deixou, te esperando pra que eu possa, finalmente, preencher todas as lacunas que eu deixei na nossa história. E eu vou ficar aqui até você voltar, porque no fundo, no fundo, eu não posso, nem quero, deixar de acreditar que você vem.

8 comentários:

  1. "Errei quando joguei no teu colo a obrigação de fazer dar certo, errei quando esperei que você adivinhasse o que eu queria, quando eu achei que só por amar eu não precisasse fazer mais nada. [...] Queria que você soubesse que eu ainda penso muito em nós dois, principalmente quando eu to sozinha e não preciso mentir pra ninguém que já superei." GEMT! Dá pra colar tudo? Hahahaha. Já senti tudo isso! Que sentimento, gabi! <3

    ResponderExcluir
  2. Que lindo esse texto! Já passei por uma situação parecida.
    Beijos
    Bluebell Bee

    ResponderExcluir
  3. Meninaaaaa, que texto MARAVILHOSO! você escreve muuuito bem, amei amei amei!

    ResponderExcluir
  4. Meu deus adorei! ♥ acho que todo mundo já passou por isso, ou ainda vai passar... Mas o importante é levar como aprendizado ;)

    www.poetizandomoda.com.br

    ResponderExcluir
  5. "Queria que você soubesse que ainda me dói tanto a sua falta, sabe? Parece que tem um buraco dentro do meu coração e só você pode me curar."

    Ah Gabriela, você atua super bem se fazendo de desapegada, mas ai as lembranças ou a falta te invadem e você derrama tudo em tuas linhas, e derrama de uma maneira linda, sincera.
    E poucas pessoas conseguem captar o que há por trás das entrelinhas.
    Não se arrependa de nada gata, o que passou já foi, continue seguindo em frente, sem muitas esperas.

    Beijo

    ResponderExcluir
  6. Meu Deus Gabriela, eu me encontro em cada palavra dos seus textos. Eu choro a cada letra, ás vezes fico com tanto medo de ler porque sei que logo em seguida a saudade vem a tona, me maltratando de dentro pra fora, uma dor insuportável.

    ''E eu vou ficar aqui até você voltar, porque no fundo, no fundo, eu não posso, nem quero, deixar de acreditar que você vem.''

    ResponderExcluir
  7. "Cê não soube lidar com a minha mania de deixar tudo subentendido, nem com o meu medo em expor em um outdoor que pra mim só existia você. Tudo bem moreno, eu é quem devia ter dito que esperaria a vida inteira se você garantisse que voltava"
    Gabi seus textos ilustram minha vida, leio mesmo sabendo o quão mal posso ficar depois!!
    Parabéns pelo blog perfeito.

    ResponderExcluir
  8. Muito bonito mesmo emocionante e como vc mesma falo qualquer semelhança com a realidade é mera coincidência ;)

    ResponderExcluir

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." — Antoine de Saint-Exupéry — Cative-me.