Nova Perspectiva

11 de junho de 2015

E se já tiver sido tudo?

Via reprodução
Eu penso em nós dois quase o tempo todo, armo coincidências que até o destino dúvida e fantasio cenas enquanto a cabeça pesa no travesseiro. Eu sinto a sua falta e rezo pra que o cara lá de cima me traga você de volta e imagino o quanto de coisa eu gostaria de poder te falar. Que você tá ainda mais lindo com esse corte cabelo, que continua com o mesmo rosto de moleque sem jeito e que eu preferia o seu antigo estilo, mas tudo bem porque meu coração continua ficando apertadíssimo quando escuta seu nome. Que eu tenho uma playlist no computador com todas as músicas que você já me mandou e uma pasta cheia de fotos suas e que eu ainda choro lembrando da gente. Que eu continuo te vendo de longe pra ter certeza de que tá tudo bem e ainda sonho acordada com o dia em que você vai voltar. Porque cê vem, não vem?

Vivo com o horóscopo aberto pra tentar descobrir quando, pra poder estar preparada no dia em que ele apontar "hoje você vai encontrar o amor da sua vida" e eu vou saber que de algum jeito a gente vai se reencontrar em alguma dessas esquinas do caminho repetido que eu refaço só pra gente se cruzar. Ainda não deu certo, mas eu sei que uma hora vai dar. Num desses momentos de insight você vai olhar pro lado me procurando e se dará conta de que eu to fazendo falta, de que eu sempre fiz, cê só tava se enganando porquê da um medo danado se jogar numa história que tem um amor desse tamanho. Aí você vai correr aqui em casa e disparar a campainha com aquele sorriso que me derrete inteira pendurado no rosto e eu vou abrir a porta - de casa e do coração - para você ficar. Amores como o nosso não acabam dessa maneira, eu sei que não. Tá nos livros de amor, nos filmes da disney, nos comerciais de margarina.

Amor de verdade da certo no fim da história. Não é? Se ainda não deu é porque a gente também não acabou. É isso que os textos dos meus escritores favoritos dizem. E eu forço um sorriso patético tentando me convencer de que você vem, sim. Está escrito em algum lugar do mundo que a gente acaba junto. Não tá? E o coração aperta porque eu sei, no fundo eu sei, que nem todo final é feliz, que a vida real não é tão previsível assim. Amores eternos, às vezes, acabam na metade mesmo que a gente não queira, mesmo eu tendo pedido tantas e tantas vezes pra que fosse pra sempre. Eu esperava mais e mais e mais de nós, porque a gente tinha potencial, rapaz, a gente podia ter sido coisa grande, romance de estourar bilheteria, best-seller mundial, sabe? A gente podia ter deixado Romeu e Julieta no chinelo, não haveria romance bom o suficiente perto do que a nossa história podia virar, mas nessa confusão toda do que é e do que podíamos ser, nós nos tornamos só saudade. Uma saudade apertada no cantinho esquerdo do peito que espreme a alma e faz a gente chorar e eu choro tanto, rapaz. Choro porque a gente podia ter sido muito e já foi tudo e você não vai aparecer aqui em casa com a maior cara de pau do mundo me pedindo uma xícara de açúcar, nem vai me convidar pra tomar um café na sua cama.

A gente é passado que não cabe no futuro e isso arde, queima cada pedacinho de esperança que eu insisto em deixar sobreviver em mim, mesmo sabendo que cê não vem, que o horóscopo não vai acertar e que você nem faz mais aquele nosso caminho. A gente já foi tudo que podíamos sere, ainda assim, não deixou de ser amor.

3 comentários:

  1. Chorando com esse texto </3

    ResponderExcluir
  2. Muito lindo e triste o texto. Cada frase, que como sempre, me fazem arrepiar <3

    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Me definiu :( obrigada guria por conseguir por em palavras o que apenas sai em lágrimas pra mim <3

    ResponderExcluir

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." — Antoine de Saint-Exupéry — Cative-me.