Nova Perspectiva

25 de abril de 2015

Meu acerto

Via reprodução
Você diz que eu sou toda errada, porque eu bebo, falo alto e trago um pouco de tudo. Você é diferente de tudo que eu imaginei. Corta o cabelo de um jeito que eu detesto e usa um perfume que eu abomino. Você reclama do vermelho fogo que escorre nas minhas madeixas e não esquece do meu cheiro de cigarro. Antes de ir embora me pediu para que eu te pedisse pra ficar. Não pude. Porque eu sou errada de mais e você é certo de mais. E o amor é de mais, também. E eu tive medo. Era exagerado, tudo, e eu gosto do simples. Mas gostava de você. E depois que você foi eu senti falta do seu cabelo feio e do seu cheiro importado. Das suas reclamações e da testa enrugada de quem pensa muito. 

Senti falta de você e quis te ligar no meio de uma dessas noites implorando pra você cantar no telefone yellow do coldplay para eu pegar no sono. E eu quase liguei, mas a bateria tava fraca e a minha voz também. Suspirei e desisti, o que mais eu poderia fazer? Qual direito eu tenho? Sua voz meio rouca ia questionar se eu tava bêbada, como eu ia te explicar que, na verdade, era só saudades? Que faz noites que eu bebo a sua falta e acordo com uma ressaca filha da puta e que aspirina nenhuma da jeito? Como eu ia falar que eu sou toda errada, mas que com você eu topo a coisa certa? Namorar de mãos dadas e passear no parque. Mensagenzinha de bom dia e buquê de flores. Por você eu baixo a crista e mudo meus planos, faço declaração de amor e largo o cigarro.
Eu queria, cara, eu queria te ligar e implora sem pudor nenhum pra você deixar seu corpo aquecer o meu nessas madrugadas frias do inverno. Pra te contar que depois do seu beijo as outras bocas perderam o sabor, que depois de você os outros caras perderam a graça. Queria te ligar pra chorar em silêncio que eu to com saudades pra caralho, porque eu me faço de forte, mas sou toda manteiga derretida, porque eu fui embora e ainda assim te amo, porque eu tenho medo do que você faz comigo e mais ainda do que eu quero que você faça. Porque eu jurava de pés juntos que amor era coisa de conto de fada e agora só consigo pensar em nós dois. Mas a bateria acabou e você trocou de número e eu não tenho coragem.

Reviro na cama enquanto o sono não chega, ensaio desculpas e crio empecilhos e choro. Choro porque eu queria que você também quisesse, que você também viesse, que você também tentasse. Choro porque eu te deixei, sozinho, e agora não sei como voltar. Choro lágrimas pesadas de quem esconde do mundo que tá foda carregar os dias sem sua mão agarrada na minha. Choro e grito em um silêncio mudo que eu te quero pra sempre e desejo que seu coração também precise do meu, e que você volte em uma dessas madrugadas sem eu precisar implorar. Que você volte pr'eu te pedir pra ficar, uma noite ou a vida toda, quem sabe? Volte com esse corte fresco e o sorriso aberto. Com essa mania de ser o cara certo, pra menina errada. 

Volta pra eu falar que esqueci de dizer que te amo.

5 comentários:

  1. Que texto maravilhoso, eu amei, sua escrita é uma das minhas preferidas <3
    ''Choro lágrimas pesadas de quem esconde do mundo que tá foda carregar os dias sem sua mão agarrada na minha.''
    http://www.leiturateen.com/

    ResponderExcluir
  2. A gente sempre chora quando nos perdemos, quando somos deixadas, quando a falta arde, quando a saudade aperta e as lembranças rasgam a nossa mente.
    Triste texto, porém lindo!

    Beijo

    ResponderExcluir
  3. Lindo, lindo e lindo, como sempre. Mas esse texto fugiu do padrão, porque fugiu do padrão da sociedade e isso é perfeito <3 Viva as meninas erradas que são perfeitas em si mesmas :*

    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Que liiiiiiiiiindo, Gabi!
    *.*
    Adorei o menino certo para a menina errada.
    Quem nunca teve um errado ou foi o errado?
    Mas se tem amor e é intenso, aí complica!
    :P

    Beijoooos

    www.casosacasoselivros.com

    ResponderExcluir
  5. A pessoa certa no momento errado
    adoro seu blog
    bju flor

    http://karinapinheiro.com.br/ah-essa-tal-felicidade/

    ResponderExcluir

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." — Antoine de Saint-Exupéry — Cative-me.