Nova Perspectiva

13 de novembro de 2014

Seven (years)

Via reprodução
Respiro, reflito, piro. Tá tarde demais pra dormir, tá cedo demais pra acordar, e pra gente, como tá?
Hoje é um daqueles dias que o coração acorda apertado, que o dia passa sem graça e a noite engole qualquer possibilidade de brotar alguma esperança, por menor que ela possa ser. Você não voltou, de novo. E não vai voltar. E eu não posso mais te esperar.
Quanto da 365 x 7? Sei lá, só sei que hoje era pra ser o nosso dia. Era. Eu tinha tanta coisa para te contar, tanto beijo pra te dar, tanta história pra viver contigo. Eu tinha tanto amor, rapaz. Tanto, tanto, tanto. Até que eu sufoquei. Às vezes você precisa morrer de amor pra acordar pra vida. Menino moço do sorriso largo que nunca foi meu, e nem vai ser, vim te dizer adeus. Um adeus apertado, surrado, exclamado. Um adeus com gosto doce de alivio. Um adeus atrasado; de luto e de recomeço. De vitória ganha depois de guerra perdida. Aceitar o fim é mais difícil do que colocar o ponto, a gente aprende isso depois de bater muito com a cabeça na parede pra se convencer de que "ainda vai ser", não vai, hoje eu sei. Melhor assim. Algumas coisas na vida ficam mais bonitas quando acabam no "sei lá, a gente só deixou de se amar". Deixamos. Você primeiro, e eu dia desses quando me peguei imaginando o nosso casamento com um outro cara. Nem mais bonito, nem mais legal, nem mais forte, nem mais esperto. Só outro, desses que a gente conhece por acaso na fila do supermercado, na esquina de uma avenida, no show da banda favorita. Um outro cara, desses comuns pro mundo e especiais pra gente, desses que chegam e mudam tudo. Ele me mudou, felizmente. E pra ir embora faltava fechar o ciclo e começar uma história nova. Faltava te contar que a gente acabou e que a culpa nem foi sua e nem foi minha. Foi de quem escreve a vida por linhas tortas. Mas certa.
Adeus.

20 comentários:

  1. Estou nessa fase de transição também, o adeus sempre foi o melhor eu imaginava, mas daí percebi que não precisa disso, quando a gente é indiferente tudo fica mais as claras.
    Amei o texto, beijos.

    ResponderExcluir
  2. Fiquei meio estranha com esse.

    Lindo texto Gabs :*

    ResponderExcluir
  3. Uau! Senti cada palavra na alma. Sublime! Prosa linda.Li acompanhado de ''Stay with me- Sam Smith''. Lindo!

    ResponderExcluir
  4. " Às vezes você precisa morrer de amor pra acordar pra vida. "
    A mais pura verdade. Sentir amor e a dor.

    ResponderExcluir
  5. Sentires que ainda sangram de tão crus e sentidos.

    Gostei da escrita, da reflexão.

    Beijinhos

    P.S. Como te sigo?

    ResponderExcluir
  6. Dá onde se tira tanta coisa boa assim? Tanta inspiração pra escrever? Tanta palavra boa? Mesmo que eu nunca tenha passado pelo contexto eu me identifico com o texto, isso é normal produção? Sou sua fã!
    beijoos
    http://cheiade-alegria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Gabi, sei bem como é isso, esse sentir.
    E o pesar de que não é ele, e sim outro que vai se encaixando na vida.
    Mas é isso, e não temos domínio do que acontece.
    Cabe a nós, viver, e sentir, seja onde, como e com quem for, pois há sempre quem seja inteiro pra nós. Porque de pessoas que vem pela metade, com certeza já estamos habituadas, e sempre levam um tanto da gente. Agora é hora de permitir alguém que se encaixe na vida da gente e complemente.

    Beijo, querida.

    ResponderExcluir
  8. Ah lindona! Essa vida e esses nossos sentimentos sempre intensos.
    Essas paixões que acabam se passando por amores.
    Essas experiências que resultam em belos textos como esse, mas que espero que não resulte em um coração desacreditado.
    Viva, dance, se permita conhecer outras pessoas, ame, ame a vida, você mesma e se permita.

    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Vejo mudanças no Layout produção?! Adorei

    E o texto? =´) As palavras estão perfeitas, mas espero que esteja bem

    Beijos

    ResponderExcluir
  10. "Às vezes você precisa morrer de amor pra acordar pra vida." - Mais verdadeiro, impossível. ;-)
    Texto incrível. Sabe, um dia desses aprendi que vai ter muito cara "vilão" por aí. Mas também vai ter muito cara que não vai ser vilão e nem "mocinho". Só vai ser alguém que fez bem, mas teve que ir. A vida é assim e toda experiência é válida. Claro, que na prática a teoria é mais difícil. Mas desconfie das coisas fáceis. ;-)

    Beijos,
    Carol
    www.pequenajornalista.com.br

    ResponderExcluir
  11. COMONÃOMORRERDEAMAROTEULAYOUT????? *------------------------------------------------------------*

    ResponderExcluir
  12. Demora, mas uma hora a gente aprende a dar Adeus aquilo que não nos faz bem ou para a história que foi bom, mas acabou.
    Adeus para o passado e que abram as portas para o novo e o futuro seja melhor.
    Abraços Mika,
    Pensamentos Viajantes

    ResponderExcluir
  13. Parece que a gente veio de uma longa conversa sobre como as coisas deram errado e sobre o quanto eu sofri pra desistir de todos os beijos, abraços e carinhos que eu ainda tinha pra dar.

    Muito obrigada por mais esse texto que fala por mim <3

    beijo
    beinghellz.blogspot.com

    ResponderExcluir
  14. Adorei a frase: Um outro cara, desses comuns pro mundo e especiais pra gente, desses que chegam e mudam tudo. Foi a melhor.

    http://mundo-restrito.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  15. Aaah, gente, que lindo!
    E que triste também.
    Dar adeus é difícil, mas muitas vezes necessário.
    Você escreveu o que muitas de nós sentimos no momento ou já sentimos algum dia.

    Beijoooooooos

    www.casosacasoselivros.com

    ResponderExcluir
  16. Adorei o texto. Me emocionei aqui. É muto carregado de emoção em cada palavra.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
  17. Muito lindo!
    É triste, mas adorei o final.
    Beijo

    ResponderExcluir
  18. Gabriela, te confesso que estou aliviada por te ler somente hoje, porque se fosse ontem, talvez lágrimas e soluços não deixassem que eu terminasse... Tuas palavras me chacoalharam com força, só quem já teve de dizer um adeus definitivo, embora não quisesse, sabe!!

    beijoo'os
    flores-na-cabeca.blogspot.com

    ResponderExcluir
  19. Que lindo.
    Eu estava com saudade de ler alguma coisa assim. Saudade até dos meus próprios fins que já passaram e dos começos que eu desejo ganhar.
    Bom final de semana, Gabriela.
    beijão.

    ResponderExcluir

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." — Antoine de Saint-Exupéry — Cative-me.