Nova Perspectiva

16 de setembro de 2014

Ainda somos nós

Imagem retirada do site weheartit
- Nossa, quanto tempo!
- Pois é.
- Você está ainda mais linda, morena.
- Acho que a solteirice me fez bem.
- Como vai a vida?
- Corta essa, o que você está fazendo aqui?
- Sei lá, deu saudades, sabe?
- Não sei não, pelo menos não to me recordando de nenhuma vez que toquei a sua campainha sete e meia da manhã com esse papinho de que eu tava com saudades.
- Não é papinho, eu realmente to. Achei uma blusa sua em casa e dormi com seu cheiro, acordei de madrugada relutando pra não fazer besteira, só que não deu, eu precisava vir te ver.
- Guarda essa pra outra. To vacinada contra seu jogo.
- Eu entendo você estar assim, não te faltam motivos para sentir raiva, mas pô, eu to aqui, to arrependido, to tocando a campainha da sua casa essa hora porque eu precisei gastar um tempo na balada para descobrir que o meu lugar é ao seu lado.
- Tarde demais, você não acha? Já se foi quase um ano, 365 dias, sei lá quantas horas. Demorei demais para conseguir enfiar um ponto final na nossa história para desperdiçar meu esforço transformando-o em reticencias.
- E todas as ligações? Todos os choros de madrugada? Todas as vezes que você implorou por mais uma chance?
- Passou como qualquer outra coisa na vida. Você disse que eu ia superar, lembra? Cê’ tinha razão, cara, depois de algumas humilhações, alguns porres e amores de uma noite eu descobri que dá pra ser inteira sem mendigar metade de quem não quer somar com a gente.
- Não acredito, até ontem eu era o amor da sua vida.
- Pois é, pra cê ver como eu tava mal, transformei você em príncipe encantado, vê se pode. Eu queria tanto que desse certo, mas tanto, tanto, que não aceitei quando acabou. Não vi que eu era muito pra você.
- Eu compreendo, morena. Mas não acredito não, ninguém supera ninguém do dia pra noite.
- Não foi do dia pra noite.
- Posso entrar?
- Melhor não.
- Tem alguém aí?
- De que importa?
- Manda a real, morena, quem foi que me tirou da sua cabeça?
- É melhor você ir, rapaz.
- To com saudades do seu café.
- Daqui a pouco eu tenho que ir trabalhar.
- To com saudades da sua cama.
- Sem melodrama, vai. A gente sabe que esse teu teatro acaba depois do sexo, não vai rolar, eu não estou mais disponível.
- Não to querendo só sexo, morena, juro pra você.
- Você já jurou tanta coisa, lembra? Da última vez a gente era pra sempre. Éramos. Acabou porque você quis e não vai continuar porque eu não quero.
- Então me explica, como você me superou? Porque eu ainda não nos superei.
- Tive que arranjar alguém pra passar os dias ruins.
- Sabia que tinha outro cara na parada, quem é ele?
- Não é ele, sou eu.
- Que?
- Sou eu.
- É você o que?
- Que eu arranjei pra passar os dias ruins.
- Morena, você tá ficando louca?
- Tô não, sempre fui. Agora me deixe dormir o pouco tempo que me resta.
- Até deixo, se for comigo.
- Acabou, cara, acabou. Melhor cê ir embora.
- Como você se fez companhia?
- Sei lá, sabe? Fui aprendendo que ninguém vai me fazer feliz se eu não puder fazer isso sozinha, não era você, nem era eu, era a gente. O lance não fluía e eu não podia ficar me culpando pra sempre, falta de amor-próprio dói mais que pé na bunda, eu precisei aprender a gostar de mim, depois disso foi fácil te superar.
- Fácil?
- Facílimo. Acabei descobrindo que quando dói não é amor, é doença, eu tava doente de amar errado, cara, eu precisei abdicar de mim pra não desistir de você e isso me levou ao fundo do poço, mas o bom de chegar lá é saber que o único lugar pra onde você pode ir é pra cima. Me reinventei. Eu não precisava de você, eu precisava de mim. Era esse o problema.
- To ligado nesse lance de amor-próprio, muito bonita sua filosofia, mas morena, to falando da gente, sabe? Sei que sou cabeça dura e que errei pra caramba, mas ainda sou eu, morena, e eu ainda te amo.
- Eu sei, eu sei, me perdoa, rapaz, mas não adianta ainda ser você se já não sou mais eu.
- Isso é um adeus?
- Vou fechar a porta.
- Te amo.
- Também me amo.
- Te amo pra caralho.
- Preciso ir.
- Deixa eu ir junto.
- Você não entende.
- Não entendo.
- Por favor.
- Diz que não me ama.
- Não amo.
- Nem um pouco?
- O suficiente pra saber que não vai dar certo.
- Quanto tempo você ainda tem antes do trabalho?
- Meia hora.
- Você faz o café e eu faço a torrada.
- Vai dar merda, rapaz.
- Tudo bem, morena, merda de amor não fede.
16 on 16 é um projeto literário onde dezesseis blogueiras postam um texto sobre um determinado tema todo dia dezesseis. O tema desse mês era "tive que arranjar alguém pra passar os dias ruins".
Visitem as outras meninas:
Ariane | Camila | Camyli | Deyse | Ghiovana | Jade | Jeniffer | Lianne | Mari | Maria Fernanda | Marlana | Nicolle | Sara | Thaís ♥

35 comentários:

  1. Que lindo <3
    Adorei, perfeito.

    Beijos e fique com Deus,
    Quero Sonhar.

    ResponderExcluir
  2. Cara, que diálogo! Ficou maravilhoso Gabi.. Se eu fosse colocar aqui minha parte favorita, teria que digitar o texto inteiro. Parabéns ♥

    www.palavrasrepetidas.com

    ResponderExcluir
  3. Sempre me surpreendendo. Sem palavras, Gabi. Amo tudo que você escreve, seu jeito simples, delicado e verdadeiro de colocar sentimentos em palavras. <3

    http://1quartodecafe.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Adorei o diálogo, acho esse projeto bem legal, depois vou passar pra ler o texto das outras meninas.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. "mas o bom de chegar lá é saber que o único lugar pra onde você pode ir é pra cima" e "merda de amor não fede" BOM DEMAIS!
    Adorei o texto, poxa vida.
    Beijocas.

    aleatoriedadesdeluiza.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. "Merda de amor não fede" melhor frase!!!!
    Amei o texto, serio.

    Beijos <3
    http://dearitgirl.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. "merda de amor não fede" Haha
    só você mesma Gabi.
    Adorei o diálogo, ficou envolvente.

    Beijos

    ResponderExcluir
  8. kkkkkkk... amei esse texto. Nossa quanto fora, mas só assim eles dão valor.
    Beijinhos.
    http://www.estilosaefeminina.com.br/
    https://www.facebook.com/estilosaefeminina

    ResponderExcluir
  9. Gosto do tom ácido e um pouco agressivo. Se for café com leite demais enjoa.

    ResponderExcluir
  10. Adoro o diálogos e como desenrolou a história... Existem varios tipos de amor mas existem somente uma forma de amar de verdade.

    ResponderExcluir
  11. Sou suspeita pra falar porque sou fanática por diálogos. Gostei muito do texto, da abordagem que você fez do tema. Preciso nem dizer o quanto você articula bem as palavras, o quanto você escreve bem e expõe de forma clara, bem humorada e até um pouco ácida os seus pensamentos. Você dá corpo ao texto, e vida às personagens. Gostei bastante.

    beijos, querida.

    coracaoaflordapele.blogspot.com
    semprovas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. Até parece uma ladainha, mas sempre me identifico com o que você escreve. Não que eu tenha passado por tudo tal qual escrito, mas sempre tem uma frase que salta aos olhos e logo penso "mas é isso mesmo!". E achei ótimo que o alguém era a própria moça, pois não tem melhor do que amor-próprio! Se a gente não se ama e valoriza, quem é que vai?
    Um beijo!

    ResponderExcluir
  13. Não só adorei o tema como achei simplesmente incrível quem era esse alguém com quem a "dona morena" passou os dias e os tornou melhor: não tinha ninguém melhor pra isso!

    ResponderExcluir
  14. Nossa, você não sabe o quanto que eu amei esse seu texto. Sério. Você me definiu por completo, pena que isso não aconteceu comigo, porque eu daria tudo pra falar isso na cara do carinha, haha! :P

    Bitocas!
    www.likeparadise.com.br

    ResponderExcluir
  15. Falta de amor próprio dói mais que pé na bunda ---> isso define muita coisa!
    Amei!
    Beijo

    ResponderExcluir
  16. Tentei enviar meu comentário antes, mas tive que logar no google e não apareceu nenhuma mensagem dizendo que foi publicado ou que está aguardando moderação, então se esse comentário for repetido, pode deletar. :)

    Que bonitinho. Isso é muito verdade - é devastador amar uma outra pessoa se não há amor próprio. Eu sinceramente ainda estou trabalhando no meu amor próprio, então eu meio que entendo a dor, mas tem horas que não dá. E no meio de tanto ups and downs a única saída é se desligar de todo o resto, de um jeito que olhar para dentro de si parece mais olhar para uma obra de arte.

    Eu gosto dos teus textos, quem dera eu tivesse tanta inspiração.

    ResponderExcluir
  17. Que coisa mais linda de texto!
    Minha filosofia de vida! Me amar em primeiro lugar, me dar valor e não mendigar amor aos outros e olha, depois que me encontrei, nunca estive tão feliz, tão completa! haha
    No final, o amor da nossa vida somos nós mesmos e procurar a metade em outro alguém só vai resultar em desilusão atrás de desilusão...

    Beijos <3
    http://perigosasgarotas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  18. Quando você falou que faria um diálogo, eu sabia que ia ser perfeito!

    Beijo meu,
    Fernanda Probst

    ResponderExcluir
  19. hauahaau esse texto é o sonho de toda mulher
    falar tudo isso pros caras idiotas que passou pela vida dela
    bju

    http://karinapinheiro.com.br/blog/
    http://karinapinheiro.com.br/cronica-final-separacao/

    ResponderExcluir
  20. Ficou muito bacana, perfeito!
    petalasdeliberdade.blogspot.com

    ResponderExcluir
  21. Ficou bem legal o texto em forma de diálogo!
    E o tema, e a forma que foi explorado ficou bem bacana. A parte que mais gostei é esse parágrafo : "Acabei descobrindo que quando dói não é amor, é doença, eu tava doente de amar errado, cara, eu precisei abdicar de mim pra não desistir de você e isso me levou ao fundo do poço, mas o bom de chegar lá é saber que o único lugar pra onde você pode ir é pra cima. Me reinventei. Eu não precisava de você, eu precisava de mim. Era esse o problema.".

    Bem legal mesmo :D
    Beijo

    ResponderExcluir
  22. Então, cê já tem todas as respostas!!! Bate aqui, Gabi \0 haha muito bom!!!

    ResponderExcluir
  23. Adorei o diálogo! Não precisou de absolutamente nenhuma interferência nele pra compreender toda a situação. O cara é persistente! rsrsrs
    Simplesmente amei: "...Acabei descobrindo que quando dói não é amor, é doença, eu tava doente de amar errado, cara, eu precisei abdicar de mim pra não desistir de você e isso me levou ao fundo do poço, mas o bom de chegar lá é saber que o único lugar pra onde você pode ir é pra cima..."
    Bjs!!!

    ResponderExcluir
  24. Eu conhecia esse projeto, mas de um jeito um pouco diferente.
    AMEI o seu texto!! Como é todo um diálogo, li rapidinho. Hahaha.

    Beijo!
    Fofuramentos
    @bfofuramentos (twitter)

    ResponderExcluir
  25. Eu amei o diálogo, você escreve muito bem! *-* E fiquei imaginando uma cena de filme conforme ia lendo. Além de tudo, gostei da mensagem que você passou... de que nós precisamos de nós mesmos para superar e ser feliz. Não precisamos de ninguém para nos completar e sim de nós mesmos. ♥

    www.nahboa.com

    ResponderExcluir
  26. Adorei o dialogo, simplesmente todo mundo deveria entender que o amor proprio vem primeiro que amores alheios, ninguém nunca vai poder te dar o que você precisa achar em você mesmo, palmas pro texto, palmas pra morena HAHAH
    Amei!
    beijos
    http://cheiade-alegria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  27. Ficou incrível! Até compartilhei um trechinho na minha page! Demais!

    ResponderExcluir
  28. aaaaaaah, que coisa maaais liinda! Morri de amores!
    Parabéns, sucesso!
    Beijok's
    http://dicasparadiva.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  29. "Merda de amor não fede." Ótima! hahaha =D
    Adoro essas coisas viscerais que você escreve, dona.
    Continue a escrever.

    Um abraço!

    Sacudindo Palavras

    ResponderExcluir
  30. A frase final realmente foi fantástica! HAHAHAH

    beijo

    ResponderExcluir
  31. merda de amor não fede? heuheuheuheuheu

    ResponderExcluir
  32. Merda de amor não fede foi realmente muito original! Adorei seu texto, pra variar né? E curti como a foto que você colocou, pra mim, teve tudo a ver com a história. Não sei, achei que combinou demais!
    :*

    ResponderExcluir
  33. Primeiro blog que vejo um diálogo, e eu só tenho uma coisa para dizer... vai ter mais? Curti muito. Parabéns!
    Achei bacana esse projeto !

    beeeijo
    www.luisarossi.com.br

    ResponderExcluir
  34. Franca. Direta. Direto do Mundo Real para o mundo da escrita.
    Belo texto. Teatral!

    ResponderExcluir
  35. AAAH como eu ameei este diálogo , cada dia mais impressionada haha , quero mais 😍👏👏👏👏 Parabens

    ResponderExcluir

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." — Antoine de Saint-Exupéry — Cative-me.