Nova Perspectiva

24 de maio de 2014

Chegou a hora do adeus

Imagem retirada do site wehearit
Cheguei em casa agora pouco e, pela primeira vez em muitos anos, senti vontade de te ligar, mas não pra chorar e nem pra te pedir de volta, só pra contar como foi meu dia e sobre o cara incrível que tem saído comigo. Não, eu não queria que você se contorcesse de ciúmes, menos ainda que isso te fizesse voltar atrás nas tuas certezas. Eu só queria que você soubesse que, de alguma forma, você me transformou em quem eu sou hoje, que graças a você estou pronta para ser feliz. Só que não tenho mais seu número, por isso preferi te escrever. Não vou falar sobre o meu dia, nem sobre o cara que eu conheci. Vou falar da gente.

Nossa história foi meio bagunçada, desde o começo, e era essa bagunça que eu mais amava em nós. Tudo aconteceu de um jeito torto, do nosso jeito. Não teve hora de chegada e muito menos de partida: fomos igual um furacão, em todos os sentidos. Acontecemos de repente, mas com uma intensidade assustadora, duramos tempo suficiente para causar grandes estragos, demolimos estruturas milenares e certezas dogmáticas, destruímos um ao outro, também. Depois nosso impetuoso furacão virou ventania, que virou brisa, e evaporou. Evaporamos. Não sei em que parte dessa história o meu amor deixou de ser amor, nem em que momento o desespero de caminhar sem sua mão segurando a minha me cegou, mas eu passei longos invernos ansiando a sua volta, implorando para que você notasse o quanto eu precisava que você também precisasse de mim. Mas você nunca precisou, sequer notou que sua mão esquerda estava livre. 

Meu peito enfartou de saudades. O eco mudo que ecoava no espaço vazio do meu coração ensurdeceu minha alma. Eu me perdi nas nossas entrelinhas mal feitas, e depois me perdi de você. E ainda assim não fui capaz de me encontrar. Eu quis que o amor durasse só mais um pouquinho, só até você perceber que te faltava algo e que esse algo era eu. Naquela época eu me faltava tanto e também não percebia. Falecia cada dia um pouco mais. Você era a minha droga. Você era uma droga, no sentido mais nocivo possível. Eu não podia viver sem injetar um pouco de você, diariamente, em mim.Tive que morrer e renascer pra poder me encontrar. Chorei até esvaziar a alma de toda aquela dor. Não foi do dia pra noite, nem em um breve período, levaram meses, mas em algum momento eu olhei no espelho e reconheci a única pessoa que jamais me abandonaria, a única que tinha nas mãos a minha felicidade. Depois desse dia eu resolvi voltar a me amar. Aos poucos pude entender que você foi a melhor e a pior parte da minha vida. 

Eu precisava passar por você e vencer a nossa história pra poder encarar de frente o que ainda estava por vir. Você me ensinou que não se morre de amor e que não se vive de migalhes de outro alguém. Nosso amor errado, torto, bagunçado, me preparou pra receber de casa limpa a pessoa certa. Foi por isso que eu quis te ligar hoje, pra dizer que o meu dia foi ótimo, que eu conheci um cara legal, que a gente tem saído sempre, que eu to feliz pra caralho (desculpa a veemência), e que devo isso a você (dessa vez no bom sentido), você continua sendo o começo da metade da melhor parte da minha vida. Obrigada por não ter me amado.

32 comentários:

  1. Você escreve muito bem, adorei o texto e seu blog é lindo. Parabéns pelo trabalho!
    Já estou seguindo.
    www.naoruiva.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. No fim, a gente descobre que toda relação sempre deixa algo em nossas vidas. As boas, coisas boas pra lembrar, as outras, ensinamentos.
    Post bonito. Boa noite.

    ResponderExcluir
  3. No fim, tudo nos resulta. Emoções e vivências soam essenciais para nossa transformação. Certas relações são casulos que, ao findarem, nos cria asas...

    Belo querida!
    Beijo Gab!

    ResponderExcluir
  4. Oii Gabi,

    adorei teu blog, teu texto e quando vi uma frase do Caio ali no inicio, já quis ficar morando aqui pra sempre.
    Agradeço pela visita em meu blog.

    Beeijos
    http://www.portiprati.com/

    ResponderExcluir
  5. Oii, Gabi! Enfim eu consegui te ler *feliz* :D
    Texto lindo.
    Me identifiquei um pouco. No final das contas, todo término resulta em aprendizado. A vida é isso.

    Beijo!

    ResponderExcluir
  6. "Acontecemos de repente"

    Teus textos estão cada vez mais fodas. O final foi um tapa na cara tão sutil! Amei todo o enredo. Há pessoas que vem pra nos destruir e nos fazer mais forte. Animal!

    Beijos lindona

    ResponderExcluir
  7. Às vezes a gente tem que passar por poucas e boas, descer até o fundo do poço, pra conseguir dar a volta por cima e - finalmente - ser feliz!

    ResponderExcluir
  8. "Depois nosso impetuoso furacão virou ventania, que virou brisa, e evaporou." Foi meu trecho preferido. É um texto fantástico e realista, parabéns.
    Beijos || Unlocked Land ❤

    ResponderExcluir
  9. Você disse lá no último comentário que se viu no meu conto, e olha só como são as coisas, eu vi os meus últimos quatro anos nesse texto lindo seu. É exatamente esta perspectiva que passei a ter sobre os acontecimentos que me trouxeram até o presente momento. A dor prepara a gente pra ser feliz, e isso é muito irônico e ao mesmo tempo impressionante.
    Enfim, me empolguei com seu texto e acabaria fazendo outro aqui no comentário se continuasse, rsrsr xD... Eu adoro a sua escrita, Gabi. Sempre me vejo em alguma parte, tanto no sentido, quando na forma. Parabéns pelo talento!
    Um beijo!

    ResponderExcluir
  10. Parabéns pelo texto. É muito bom. A vida é assim, tudo o que vivemos serve de aprendizado para outra etapa dela.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
  11. Olá Gabriela!

    É com uma baita cara-de-pau e na torcida se ser compreendido, que passo por aqui hoje para lhe convidar a conhecer o meu novo livro: Tempos Verbais! Assim como os demais, ele também está disponível gratuitamente em formato eletrônico:

    Desce Mais Uma! - Lançamento Tempos Verbais

    Muito obrigado,

    Rafael

    ResponderExcluir
  12. Honestamente: é um tapa na cara!, mas pode ter certeza que o que mais penso nos últimos meses é perceber que relacionamentos, depois que acaba, seja lá por qual motivo for, faz a gente crescer. E relacionamento que faz a gente sofrer: mais ainda! Parabéns.

    dentrodabolha.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. Ps: dentrodabolh.blogspot.com

    ResponderExcluir
  14. Gabriela,
    Li de uma vez só e chego a conclusão que:
    Amar é ter um respeito absoluto pela própria liberdade e pela liberdade do outro. Amar é compreender sempre. E isso não significa apenas entendimento racional, vai além, muito além: Amar é reconhecer afetuosamente o direito que o outro tem de fazer suas escolhas.

    Beijos , luz e paz.

    ResponderExcluir
  15. Independente da pessoa e da importancia dela na nossa vida, todas elas deixam as suas marcas em nós e é muito difícil de esquecer. Gostei bastante do seu texto.
    cronicasdeumlunatico.blogspot.com

    ResponderExcluir
  16. Noooossa você não vai acreditar, estava ouvindo uma música que começa com o título do seu texto, a música é Quando eu disser adeus, do Ls Jack, cheguei até a chorar lendo e ouvindo. :( Nossa, nossa! []' perfeito!

    dallyse.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  17. Nossa, intenso demais hein!! Acho que a hora do adeus, seja ele por qual motivo for, é muito triste...as vezes traumático até!
    Amei sua visita no meu cantinho...quero te ver sempre por lá hein!!
    Vim correndo retribuir e amei tudo por aqui...seguindooo! :)
    Bjs Bjs
    www.biroskadakeka.com.br

    ResponderExcluir
  18. Pelo título, achei que você estava parando com o blog. rsrsrs!
    Gostei bastante do texto, embora não tenha vivido isso. Parabéns.
    Beijinhos!
    Giulia - Prazer, me chamo Livro

    ResponderExcluir
  19. Todo o fim gera um começo e cada "erro" nos trás uma lição, só é preciso ter essa percepção e aprender com as situações ruins.
    O pensamento do texto é completamente certo, exatamente o que deveria ser feito nessas ocasiões em que tudo parece ter dado errado.
    Enfim, é um texto muito bem escrito, meus parabéns.

    O Outro Lado da Raposa

    ResponderExcluir
  20. Linda reflexão.
    Às vezes uma pessoa entra em nossa vida só para isso mesmo: para nos fazer evoluir de alguma forma.
    E que bom que existe o amanhã pra perceber tudo isso.


    Até mais

    ResponderExcluir
  21. Belo texto. Achei bonito a personagem ter visto isso como um aprendizado, relacionamentos de todo o tipo são complicados, mas a gente deve aprender com cada coisinha pra ser alguém melhor.

    http://florescerepalavrear.wordpress.com

    ResponderExcluir
  22. Adorei o novo layout. Sobre a postagem, eu acredito que às vezes uma pessoa não entrou na nossa vida para permanecer, mas surgiu em nossas vidas para deixar algum tipo de incentivo ou aprendizado. Acho que o seu texto deixou bem claro que, apesar de tudo, podemos aprender com algo que não deu certo. Beijinhos.

    ResponderExcluir
  23. To impressionada vc escreve muito bem!!! adorei o seu estilo de escrever, me identifiquei tanto com o texto!!! arrepiei .... adorei seu blog, estou seguindo ^^

    http://www.virtualparadisee.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  24. Texto sincero, honesto, sem muitas lamentações: apenas dizendo a verdade sobre quem te machucou e uma história que não deu certo. O primeiro passo para superar algo de verdade é reconhecer que aquilo não deu certo. E você conseguiu! Mas é doloroso, difícil e complicado passar por isso.
    É horrível lidar com amores não resolvidos e perdas.
    P.S: Amei o blog.

    ResponderExcluir
  25. Auuunw,nossa.Esse foi um desabafo e tanto.É engraçado como sempre aparecem caras assim em nossas vidas para abrir nossos olhos né? Eu gosto desse tipo de história, porque é nessa confusão que sempre nos descobrimos um pouco :)

    Adoro esses textos daqui *_*

    beeeeijão ^^
    http://borboletametamorfoseando.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  26. Adorei! Todas as pessoas, mesmo aquelas que fazem mal a gente, nos ensinam alguma coisa. Nos mudam, nos transformam. Eu gosto de pessoas que conseguem ver isso, principalmente em fins de relacionamentos (não necessariamente amorosos), as coisas ficam mais fáceis quando a gente consegue ver o lado bom delas ^^

    ResponderExcluir
  27. Oi Gabriela, primeiro de tudo, que blog lindo *--*
    Essas pessoas e momentos que passam que nemfuracão, hein? No começo parece que só deixaram estragos, mas aí enqaunto vamso consertando a vida, aprendemos cada coisa e no fim o furacão foi mais um daqueles tombos que nso ensinam a ficar de pé outra vez.
    Adorei o texto.
    Beijos
    barradosno-baile.blogspot.com

    ResponderExcluir
  28. Gabi, estás escrevendo melhor a cada texto. Fodão esse daí, cheio de trechos lindos para se botar na agenda!!! Hehe... Às vezes é duro perceber que amor é sinônimo de liberdade, por mais junto que a gente queira estar, e alguns relacionamentos parecem tão intensos e fortes que imaginar o fim é simplesmente inconcebível. Mas, acontece... No final de toda experiência, sempre tem uma coisa boa pra se aprender, ainda que se leve meses ou anos. Agora, a liberdade também é sua!!! =***

    ResponderExcluir

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." — Antoine de Saint-Exupéry — Cative-me.