Nova Perspectiva

24 de fevereiro de 2013

Don't you worry

Via reprodução
Ela vestia um vestido justo, escondia a tristeza do rosto com uma maquiagem pesada, os cabelos negros batiam pouco á cima da cintura enquanto o corpo balançava conforme a batida ensurdecedora da música eletrônica. Ele fumava um cigarro no final do salão, era proibido, mas e dai? De calça jeans e blusa justa para marcar bem os músculos definidos em horas de academia buscava com os olhos atentos alguém que por descuido pudesse vir a ser uma presa fácil. Ela só queria se divertir. Ele mais uma noitada de vodka e sexo. Ela rebolava com um gingado meio aperiguetizado. Ele a achou. 
- Você é linda. – Disse o moço enquanto chegava por trás. Ela sorriu ignorando-o como se não desse a mínima. – Bebe alguma coisa?
- Água. – Respondeu enquanto era tomada pela mão e guiada até o bar. - Festa lotada. - Disse.
- De gente vazia. Uma água e uma vodka, por favor. – Pediu.
- Nunca te vi por aqui.
- É que eu nunca estive aqui. Não gosto de lugar assim.
- Nem eu. – Falou enquanto pegava a água. – Obrigada.
- Então por que vem?
- Todo mundo vem.
- Você não parece igual a todo mundo. – Observou.
- Nem você.
- Eu sei. Mas ainda não s
ei seu nome.
- Isso é só um detalhe.
- Importante, talvez.
- Vai por mim, não é não.
- E eu te chamo do que?
- Não chama. Você não precisa.
- Não?
- Não. Conheço seu tipo, reconheço homens iguais a você de longe: Cara marrento com pose de macho alfa, pronto pra atacar quem der bobeira. Eu diria que você veio atrás de um papo bom, talvez alguns beijos e se der sorte sexo à noite toda. Você vai me levar para um motel barato, porque você guarda a sua casa pra garota certa, depois vai me levar até a minha casa, pedir meu telefone e se despedir com um beijo bem caloroso, desses de despedida. Você não vai me ligar, e nem se lembrar do meu nome. Então podemos pular a parte da ladainha e irmos ao que interessa. No que você está pensando agora?
- Que talvez eu seja um pouco previsível. – Ele riu. – Mas não sou o único.
- O que tá querendo dizer?
- Você se apaixona fácil, acredita em amor verdadeiro e se bobear até em príncipe encantado. Gosta de comédia romântica e chora até em filme de ação. Gosta de se vestir com uma imagem de mulher segura, esconde o coração remendado com um batom cor de fogo, não admite seus dramas e foge de ser feliz, já que todas as suas tentativas até hoje foram frustradas, por que haveria de dar certo agora? Eu vou te levar para um motel barato, porque guardo a minha casa pra garota certa, depois te levo até a sua casa, peço seu telefone e te dou um beijo de despedida. Não vou te ligar, nem lembrar seu nome. Mas você vai falar de mim para todas as suas amigas e ficar com o celular na mão durante uma semana inteira, quando cair a ficha que eu não fui o príncipe do cavalo branco você vai chorar a noite toda, depois vai vestir essa sua máscara, colocar um vestidinho curto e vir dançar em uma balada que não tem nada a ver com você. Então podemos pular a parte da ladainha e irmos ao que interessa. No que você está pensando agora?
- Eu não choraria uma noite inteira.
- Talvez duas.
- Cala a boca. Você não me conhece.
- Conheço sim. Sinto cheiro do seu tipo à distância.
- Que seja, mas você não me disse no que está pensando.
- Que você ainda não me disse seu nome.
- Marcelle. E o seu?
- Marcos. E você?
- Eu o que?
- No que está pensando?
- Que a gente devia terminar essa conversa em outro lugar.
- Que tal na minha casa?
- Não vai esperar a garota certa?
- Não preciso, eu já achei.

61 comentários:

  1. Gabi, como você escreve bem! Adorei o texto, de verdade! :)
    E é assim mesmo, né? A gente, muitas vezes, se esconde atrás de roupas e maquiagens e tenta mostrar ao mundo que somos fortes, quando lá no fundo, só queremos um pouco de amor verdadeiro.
    Voltarei mais vezes pra ler mais o que você escreve, combinado? ;)

    Beijinhos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah Amanda, muitíssimo obrigada.
      Ô, é exatamente isso, a gente cria um personagem por medo de se machucar.
      Volte mesmo, estarei no aguardo.
      Beijos.

      Excluir
  2. Olá querida, já estou seguindo seu blog, que é muito charmoso viu?


    Convido você e suas leitoras a conhecer o meu:

    http://toobege.blogspot.com.br/


    Beijinhos e tenha uma ótima semana!

    ResponderExcluir
  3. Oiii Gabriela, como está? Vi sua postagem no instagram, o lay ficou simples mas bonito :) Aprovado.
    Vim perguntar se voce sabe um site onde tem modelos de menu para sidebar, e outras coisas legais.
    Bjinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada. Aqui tem vários: http://camilasdesigns.blogspot.com.br/

      Excluir
  4. Oii Gabriela, gostaria de saber se pode me ajudar com umas coisinhas do blog =s
    Aí a gente conversa por email...Help =

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Posso tentar Camila, me manda no e-mail
      gabrielafreitasdias@hotmail.com já estou nele.

      Excluir
  5. É, não adianta se fazer de durona e imprimir uma imagem que não é real. Quando o amor nos encara não há como resistir, neh! Ótimo texto, Gabriela! ^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Fer. Com certeza, o amor sabe pegar a gente de jeito.

      Excluir
  6. Gabi, incrível que enquanto eu lia, passavam cenas e fui meio que montando um filme. Uma sequência de cenas pra essa história!
    Lindo ler, lindo imaginar.

    ResponderExcluir
  7. Esse papo de balada está maravilhoso. Apaixonante :)

    ResponderExcluir
  8. Curti o texto.
    Tem muita guria que é assim mesmo e vai pra balada. Tentando esquecer tudo, ou até mesmo se tornar uma pessoa que ela não é, daquelas que não liga por que os outros pensam, ou que não vai se apaixonar.
    Enfim, eu já até tentei não me importar muito, mas não consigo ser assim!
    Enquanto não aparece a pessoa certa, me conformo mesmo. Prefiro ficar sozinha, do que má acompanhada.
    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também viu Ana, não gosto de fingir estar feliz sem estar ou de ir a um lugar que eu não gosto/quero.
      Beijos.

      Excluir
  9. Garotas que se apaixonam por um sorriso, uma conversa, ou uma noite. Complicado. Mas como deixar de ser assim? de fato, algumas conseguem vestir o manto da frieza e não sentir nada, mas uma hora ou outra a ficha cai e o coração amolece.

    Gostei muito como escreveu o texto. :)

    Quanto ao seu comentário lá no blog, eu passei por uma situação 90% igual a do texto. Guardei por um bom tempo, então resolvi me render a compartilha-lo com a escrita.

    Beijos ;*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem como não se apaixonar por um cara de bom papo? Desses que chegam e falam mansinho no ouvido? haha
      Obrigada;

      Excluir
  10. Acho que devo ser sincera ...
    Eu me emocionei no fim e soltei a gargalhada ao lembrar dessa parte:
    "(...)Gosta de comédia romântica e chora até em filme de ação."
    kkkkk
    Você arrasa, Gabi. :D
    Kisses! :*

    ResponderExcluir
  11. muito bom esse texto, ''Você se apaixona fácil, acredita em amor verdadeiro e se bobear até em príncipe encantado. Gosta de comédia romântica e chora até em filme de ação'' essa sou eu, infelizmente. Agora, gostaria de pelo menos poder me disfarçar de mulher segura, mais eu não consigo deixar de ser tão eu.

    garotapassageira.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também sou assim. haha
      Mas disfarço bem, na maior parte do tempo eu consigo representar uma mulher mais confiante e segura.

      Excluir
  12. Me vi nesse conto, pois já aconteceu situações parecidas comigo quando eu me apaixonada fácil e depois ficar chorando um mês, não só uma semana.
    Uma vez só tive a sorte de ser levada pra casa dele.
    Lindo conto Gabi!


    Ah to seguindo, segue de volta? haha (piada interna)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Ari. Não sou de me apaixonar fácil, esse é o meu problema. hahaha

      opa, comenta aqui por favor? haha pé no saco

      Excluir
  13. Adorei o texto, como conduziu as história e descreveu os dois personagens e no fim extremamente lindo e profundo (:

    ResponderExcluir
  14. Você escreve muito bem. Adorei as descrições, o final foi perfeito!

    Amei!

    Beijos.

    ResponderExcluir
  15. haha, adorei o conto! Um misto de drama, comédia e romance. Gostoso de ler.

    Beijos

    ResponderExcluir
  16. Nossa, que texto desculpe a expressão; foda. Eu adorei, esperava outra coisa, e encontrei outra. Deixou um gosto de querer saber mais, o que houve depois, como ficaram esses dois. Nossa, muito bom, adorei a perspectiva abordada por você. Maravilhoso, mesmo.

    Beijão.

    www.eraoutravezamor.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada May. Tava com saudades de escrever contos, de inventar personagens, sentimentos, momentos. Isso é bom demais. hahaha
      Beijos.

      Excluir
  17. Gostei do texto, você escreve muito bem.

    http://marymicucci.com

    ResponderExcluir
  18. Gabi do céu! Simplesmente sem palavras! Passou como um filme na minha cabeça, você deu vida a história e eu AMEI!

    Parabéns pelo dom, guria!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Letícia, vindo de você é mais que um simples elogio, tu escreve muito! haha

      Excluir
  19. com licença!
    boa noite!

    Adoro verdades expostas!

    seu blog é muito bom e se permitir
    estarei sempre por aqui!

    um abraço!

    http://voo-de-liberdade.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  20. Curti demais, achei bem original, sério, acho que nunca havia lido nenhum texto tão na lata, rs!

    Ansiosa pelos próximos textos!

    http://webcalcinha.blogspot.com.br/2013/02/livre.html

    Bjsss!

    ResponderExcluir
  21. Gostei demais do texto! Muito, muito mesmo. Há tempos que não lia um texto que me identificava tanto, sério! Muito bem escrito.
    Beijinhos

    Hipérboles
    @hiperbolismos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Amanda, sempre gostoso saber que as pessoas se identificam com meus textos.
      Beijos.

      Excluir
  22. eu não me escondo de nada, de ninguém, mas vejo isso acontecendo ao meu redor.
    adorei!

    @esteffanifontes, do blog Aos Dezesseis Anos
    aosdezesseisanos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  23. Muito bacana o texto! Às vezes é assim mesmo, né?
    bjos!

    ResponderExcluir
  24. parabéns pelo texto. curti muito. cê escreve muito bem.

    ResponderExcluir
  25. Adorei o texto, onde menos imagina está apessoa certa
    beijos

    ResponderExcluir
  26. Olá, Gabriela! Visitando seu cantinho pela primeira vez... Você escreve muito bem, guria. Adorei o texto!
    Voltarei aqui mais vezes, viu? =)

    Venha me fazer uma visita? Beijos,
    outonize.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  27. OMG! Que perfeitooo! Sério, me cativou, praticamente devorei o texto do começo ao fim. O Marcos é um tipo comum, mas que realmente me surpreendeu depois. Super fofo o final!

    Beijos ♥ Jeito Único

    ResponderExcluir
  28. OMG! '0'
    Que história tão linda Gabi. Por momentos me senti nela, porque estou passando por algo assim. As palavras ficaram perfeitas com essa mistura de sentimentos. Incrível. *-*

    ResponderExcluir
  29. Acho que, mesmo sem querer, a gente veste uma mascara quando sai pra uma festa. Não queremos que as coisas aconteçam como sempre aconteceram, queremos algo novo. AMEI A HISTÓRIA!

    Beijo,
    santaironia

    ResponderExcluir
  30. Awn, Gabi, que diálogo massa esse que você construiu. Bem pensado por sinal. As palavras, o que cada um diria, a forma... Enfim, adorei! (:

    ResponderExcluir
  31. você escreve muito bem gabriela,faria muito sucesso no futuro se publicasse um livro futuramente.

    ResponderExcluir

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." — Antoine de Saint-Exupéry — Cative-me.