Nova Perspectiva

10 de novembro de 2012

O quanto te quero

Via reprodução
Por algum motivo passei o sábado lendo as nossas antigas conversas, foram meses de diálogos lidos em algumas horas de uma tarde chuvosa, eram linhas de duas crianças metidas em um jogo perigoso que tinha tudo para ter dado certo, mas não deu. Ri, chorei, senti. Perdi o dia passar enquanto devorada aquelas palavras e todo o sentimento que continha nelas.

Mudamos tanto rapaz, mas não é sobre isso que eu queria falar, vim te escrever porque senti meu peito afundar em uma saudade profunda, senti vontade de te encontrar só pra jogar conversa fora, arranjei mil e uma desculpas para ouvir sua voz no telefone e mais outas milhares maneiras de cruzar com você na rua, mas eu tenho um medo desgraçado de colocar a cara à tapa, queria poder terminar nesse verão tudo aquilo que deixamos inacabável nos outros, queria uma ligação sua que me tirasse dessa zona de conforto em que me meti desde que você foi embora.

Quero sentir novamente a adrenalina do amor correndo em minhas veias, quero um ponto final (feliz) encerrando essa história cheia de vírgulas e reticências. Quero sentir seu cheiro, seu corpo, seu toque. Quero dividir com você um café, uma tarde, uma cama. Quero de novo o nosso nós, o silêncio dos nossos lábios quando unidos um ao outro, quero o coração acelerado saltando da boca, o estremecer do corpo com a sua presença, as pernas bambeados com o som da sua voz, o sorriso tremulo enquanto você tira de meu rosto uma mecha de cabelo. Quero você agora e talvez depois, e depois, e depois, e pra sempre.
Quero que ele veja o quanto mudei por causa dele, na esperança de que seu riso congelado saia do automático e eu ganhe um único sorriso verdadeiro... Talvez meu amor tenha aprendido a ser menos amor só para nunca deixar de ser amor.” Tati Bernardi

7 comentários:

  1. Quem nunca ficou relendo conversas antigas só pra ter o gostinho novamente daqueles momentos doces vividos?! É muito bom, e seria melhor ainda se nós pudéssemos ter esses momentos de volta.

    Tá lindo seu Blog, saudades *-*

    ResponderExcluir
  2. Se jogar nas lembranças assim é muito gostoso, desperta na gente uma saudade que talvez pensávamos que nem existia mais.
    Lindo!

    Beijos
    Camila Gomes
    http://camillacris.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Isso me lembrou um amor antigo. História não terminada, que às vezes ainda passeia pelos meus pensamentos.
    Bateu saudade indevida.

    Um beijo

    ResponderExcluir
  4. Essas lembranças de histórias com final incerto, essas coisas que ficam bailando dentro de nós, memórias, desejos, aflições, é tão estranho perceber que mesmo depois de tanto tempo ainda se quer alguém, ainda de sonha com um ponto mais decisivo. É estranho relembrar as coisas e desejar que estivessem exatamente no presente de nossas vidas, e ao mesmo tempo que dói também cura. Esses sentimentos contínuos e incertos como ondas de um mar revolto, tendem a nunca irem embora.Ótimo texto você escreve bem demais, vou confessar que gosto demais do seu blog e que sinto sua falta lá no meu canto haha. Beijos e ótima semana para ti.

    PS: O blog está belíssimo.

    www.eraoutravezamor.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Seu texto me deu vontade de reler conversas. Juro que me identifiquei demais com o que você escreveu.
    Adorei o texto. Você escreve muuuito bem.

    Conheci o blog hoje, e já estou apaixonada :)

    Beijo
    Mariana | Sem querer me intrometer

    ResponderExcluir
  6. Você me perguntou do player né? Aqui fala certinho como colocar ele: http://rebelde-do-html.tumblr.com/post/13178464169/como-colocar-musica-no-tumblr-pelo-hypster

    Obrigada pela visita lá no blog! Adorei aqui, tá lindo!

    ResponderExcluir
  7. Gabriela, Gabriela... Eu sinto uma verdade nesse texto por me recordar desse verão citado tantas outras vezes. Remoer sob as ruínas de um passado talvez não seja o melhor a se fazer, a não ser que se esteja disposto a duas coisas: limpar o que ficou ou reconstruir. Dar a cara à tapa é tão necessário...
    O layout está LINDO, adorei de verdade. Desculpe a ausência, querida, mas tem me faltado tanto tempo pra escrever, pra ler meus blogs preferidos. São as responsabilidades, enfim. Tenho um texto novo, que talvez você goste de ler após escrever o que escreveu. Um beijo. ♥

    http://railmamedeiros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." — Antoine de Saint-Exupéry — Cative-me.