Nova Perspectiva

3 de abril de 2011

Com tantas imperfeições.

A janela estava fechada e gotículas estavam marcadas no vidro, a cortina estava completamente aberta, do lado de fora a rua estava escura, era final de tarde, começo de noite, em um domingo chuvoso de março, os dois estavam sentados no sofá frente um para o outro, a bolsa estava logo atrás dela, dois maços de cigarro estavam sobre a mesa de centro juntos com um café e uma água que não haviam sido tocados em nenhum instante. Eles estavam quietos, ele cabisbaixa, ela chorando. Silêncio.
Alguns carros cruzavam a rua, o celular dela tocou, o barulho durou por mais de um minuto, ela não atendeu, o telefone estava fora do gancho. Silêncio.
Ele tentou tocar na mão dela, ela contraiu-se, juntou as palmas da mão e as apertou contra a perna. Silêncio.
Ele tinha pouco a dizer, ela tinha muito. O fim é assim.
- Então é só isso? - Decidiu por fim, ele, quebrar o silêncio.
- Não.
- Então, me diz tudo, guardar pra você não vai resolver nada. - Ele a olhou. - Puta merda, o que foi que eu te fiz?
- Você. - Tentou falar aos soluções, prendendo o choro. - Você mentiu.
- Quando eu menti pra você?
- Você fingiu ser perfeito, eu achei que você era diferente dos outros homens. - Ela o olhou. Secou os olhos e continuou. - Você é todo errado, só faz merda.
- Eu nunca fingi ser perfeito, mas vamos lá, qual foi a merda que eu fiz?
- Um monte!
- Então me fala.
- Você me trata mal na frente dos seus amigos, não é nem um pouco carinhoso, faz de mim o que bem entende, diz que vai ligar e eu fico te esperando o dia inteiro, combinamos de sair e você sempre fura. Fala que vai jogar bola e te encontro em um barzinho rodeado dos seus amigos. Nunca fala que me ama e não responde as minhas mensagens. Eu estou cansada disso.
- Mas querida eu sempre fui assim... - Ele esticou o braço deixando a palma da mão exposta para que ela a pega-se. - Eu não te trato mal, nunca te tratei, eu sou desligado, não ligo, não retorno, sou assim. Eu fui jogar bola e depois fomos beber uma cerveja para descontrair, eu não te dei furo, eu acabei dormindo e não acordei, essas coisas acontecem. Eu não falo que te amo porque não acho necessário, você sabe que eu te amo, não preciso ficar falando isso de cinco em cinco minutos.
- Você não é o cara que eu conheci.
- Sou sim baby, você que fantasiou demais, eu não sou e nem nunca fui perfeito. .
- Ontem a gente fez um mês e você nem ao menos me ligou.
- Tenho uma ideia diferente sobre namoro, não preciso ficar comemorando cada mês como se fosse um milagre. Se fizemos um mês é porque nos amamos e nos damos bem juntos, e um mês é pouco perto do que vamos ter, não é?
- Não sei.
- Como não sabe? Você não quer?
- Quero e quero muito, mas e você quer? Porque ultimamente tem parecido que não.
- É claro que eu quero, se não eu não estaria aqui, mas essa historia já está começando da forma errada.
- Então é melhor ir cada um para o seu lado.
- Não, não quero te deixar. Acho que o melhor é a gente começar de novo, do zero, como se tivéssemos acabado de nos conhecer.
- Como assim?
Ele sorriu, levantou e a levantou em seguida, passou as mãos pelo rosto corado dela, limpou as lágrimas, a beijou. Afastou-se e esticou uma das mãos.
- Prazer. Eu sou um cara cheio de defeitos.

14 comentários:

  1. Uma ótimo final, gostei assim!

    ResponderExcluir
  2. E a gente realmente vai se cansando, mas ninguém é perfeito... NINGUEM.

    temos que dar uma aliviada.

    ResponderExcluir
  3. aaaaaaaaaaah, ficou muito lindo *-*

    ResponderExcluir
  4. Acho esse papo de perfeição muito relativo. Mulheres dizem que homens são todos iguais, homens dizem que mulheres são todas iguais. Ambos procuram aquela pessoa que é diferente, mas fato é que todos somos diferentes, e isso é a unica coisa que nos torna iguais. Somos iguais nas nossas diferenças.
    Lindo, Gabi =)

    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. caramba , ótimo final . Grande texto!

    ResponderExcluir
  6. Haha adorei o final Gabi. É assim mesmo que deveria ter começado. Por mais que a gente saiba que ninguém é perfeito ainda continuamos com aquela mania de achar que existe alguém que seja né? :B
    Encantador e lindo como sempre *-*
    Bgs e bom final de semana :*

    ResponderExcluir
  7. É assim. Não existe os caras perfeitos. Só os errados! Um dia minha amiga me disse isso e eu não acreditei, hoje acredito e to bem melhor assim. Sem fantasias, os pés no chão quanto a isso. Então minha irmã veio a confirmar!

    ResponderExcluir
  8. me fez até lembrar daquela música linda "eu te recriei, só pro meu prazer"...

    a gente não faz isso o tempo todo? a gente não tem um milhão de defeitos?

    lindo o texto, delicioso!

    beijinhos

    ResponderExcluir
  9. ''Somos iguais nas nossas diferenças.'' Disse tudo Paulinho!
    Pois é, também acho que não existe isso de pessoa certa ou pessoa ideal, o melhor é você curtir. Todos somos e sempre seremos cheios de defeitos.

    ResponderExcluir
  10. Ahhhhhhhhhhhh que perfeito!!!! o perfeito é sempre revestido de imperfeições =) adoro isso!!! tava com saudade daqui!!!! obrigada por estar sempre presente lá no meu cantinho viu? =) beijosss

    ResponderExcluir
  11. Já li dois textos com essa frase, e ambos estão perfeitos! Realmente as vezes as mulheres são muito chatas com isso, e acham perfeição onde so tem defeitos, é a lei da vida. MUUUUUUUUUUUUUUUITO LINDO! Aadorei, sucesso com o blog.

    ResponderExcluir
  12. muito bom *.*

    http://rgqueen.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  13. O final surpreende. E lá estão as tais diferenças novamente...

    ResponderExcluir
  14. Awn querida, estava com saudades desses seus contos que me impressionam! *---*
    O cara é realista, vamos combinar... E ela é fantasiosa e besta, demais!
    Mas nada como alguém sensato, para mostrar a verdade.
    Adorei esse conto! :D
    Me diz o que eu não gosto nesse Nova perspectiva? hehe
    :***

    ResponderExcluir

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." — Antoine de Saint-Exupéry — Cative-me.